27 de março de 2018

Textual description of firstImageUrl

Filme: "A Casa Torta (2017)"

"Às vezes as pessoas não sabem que sabem!"

Quando soube da existência de "Crooked House", não sosseguei até conseguir assistir. Sou fã assumida das obras de Agatha Christie e o livro adaptado é o meu preferido, junto com outro livro que também virou filme "O Assassinato no Expresso do Oriente". Assisti e não me decepcionei, pelo contrário, esse filme entrou na minha lista de filmes preferidos. 

"Crooked House" foi lançado em 2017 e é adaptado de um romance policial escrito pela rainha do crime, Agatha Christie, publicado em 1949 {um dos dois livros preferidos dela, segundo a própria autora}. O longa contou com a direção de Giles Paquet-Brenner que também assina o roteiro em parecia com Julian Fellowes e Tim Rose Price.

Na trama, somos apresentados à família Leonides que moram em uma vasta mansão na Inglaterra. Sophia (Stefanie Martini), neta de Aristide Leonides (Gino Picciano), imigrante grego rico e octogenário, procura o detetive, Charles (Max Irons) para investigar a morte de seu avô, que foi morto devido a uma injeção de barbitúricos.
À medida que vamos conhecendo a história dessa família disfuncional, percebemos que há no seu seio inveja, ganância, rancor e ódio suficiente para provocar o assassinato do patriarca.
Todos são suspeitos, porém, as primeiras suspeitas recaem sobre a viúva, Brenda (Christina Hendricks), 50 anos mais jovem. Será que ela mataria o marido para ficar com a fortuna? Essa é a primeira linha investigativa usado por Charles. 
Roger (Christian McKay) e Philip Leonides (Julian Sands) são os filhos do milionário, um fracassado e outro invejoso, ambos tinham todos os motivos para querer ver o pai morto. Lady Edith (Glenn Close), irmã da primeira mulher de Leonides, é uma mulher de personalidade forte que também está na lista dos principais suspeitos.
Magda (Gillian Anderson) e Clemency Leonides (Amanda Abbington) são as noras do milionário. Duas mulheres com personalidades peculiares, cada uma delas esconde segredos que virão à tona conforme prossegue a investigação.
Outro forte suspeito é Laurence Brown (John Heffernan), professor que frequentava a casa e foi o responsável pela educação dos dois irmãos menores de Sophia: Eustance (Preston Nyman), jovem rapaz vítima de uma paralisia e sua irmã Josephine (Honor Kneafsey), uma menina de doze anos que alimenta o sonho de ser bailarina e diz saber quem matou seu avô.
"A Casa Torta" tenta ser fiel ao livro, e consegue. A trama é um quebra-cabeça, cada personagem é uma peça. A construção dos personagens é genial, cada um com suas peculiaridades e seus segredos, mas todos carregam um forte sentimento em relação ao falecido: o ódio. 
O cenário é perfeito. A mansão se assemelha a um castelo, por ora abandonado, deixando evidente que nenhum personagem é feliz naquele ambiente. "A Casa Torta" é um filme que precisa ser apreciado calmamente, nos mínimos detalhes. Li o livro antes de assistir o filme, então já conhecia o desfecho da história, mesmo assim, esse longa me surpreendeu bastante. Terminei de assistir o filme tão tensa quanto fiquei quando li o livro, o final não deixou de ser chocante. Agatha Christie tem o dom de me inquietar. 
"A Casa Torta" é uma excelente adaptação que agradará todos os amantes dos livros de Agatha Christie. Mas além de ser um filme policial, "A Casa Torta" instiga a reflexão. O ambiente que as pessoas vivem acaba sendo um determinante na formação do caráter, afinal, se o(a) assassino(a) vivesse numa família normal, será que teria cometido o crime? Fica a dúvida no ar!
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 115 minutos
Categorias: Mistério, Policial, Drama
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Coleção Filmes de Domínio Público