26/01/2015

Filme: "Ida (2014)"

"Você deveria experimentar. Caso contrário, que tipo de sacrifício é esse voto que você fez?"

"Ida" é um drama polonês que apesar de retratar um tema nada original no cinema {as marcas dolorosas do Holocausto} consegue ser singular e impecável. A fotografia sutil em P&B é exuberante, sendo o ponto forte do filme. É um bom exemplar da mágica do cinema, mesmo num momento em que as histórias se tornam escassas, aparecem obras que nos surpreendem pela beleza e perfeição.

Contou com a direção de Pawel Pawlikowski e recebeu indicação ao Oscar de  Melhor Fotografia e ganhou na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Estamos na Polônia, o ano é 1962, a Segunda Guerra Mundial já acabou a muitos anos, mas deixou seus resquícios de tristeza e morte por toda a Europa. A Polônia é um país socialista e está sobre a influência da URSS. E é nesse ambiente que conhecemos Anna (Agata Trzebuchowska), uma noviça órfã que foi criada pelas freiras.
A madre superiora do convento (Halina Skoczynka) revela para Anna que a noviça possui um parente vivo, é uma tia, e insiste que a jovem deve conhecê-la antes antes de assumir seus votos de freira.
Na visita, Wanda Gruz (Agata Kuleska) revela para Anna que é judia, e ambas iniciam uma longa viagem rumo ao passado para encontrar suas origens.
Este encontro das duas é o eixo de toda a história, pois ambas representam lados opostos de uma realidade dramática que cresce a cada nova cena. Wanda fez parte do movimento antinazista e do sistema judicial responsável pela punição dos carrascos nazistas.
Mas Anna não imaginava que também era uma vítima do Holocausto, seu nome verdadeiro é Ida Lebenstein e foi entregue para a freiras ainda bebê. Seus pais desapareceram e Wanda desconfia onde eles podem estar enterrados numa cidade próxima, levando a sobrinha a uma dolorosa descoberta de suas raízes.
Anna/Ida é um noviça inocente, só conhece o mundo do convento, já Wanda é vivida, conhece todos os vícios e prazeres que a noviça abomina. No entanto, a influência da tia vai colocar dúvidas nas escolhas da jovem.
Aos poucos Anna descobre novos sentimentos, principalmente após conhecer o saxofonista Lis (David Ogrodnik) que se apresenta no hotel onde as duas mulheres se hospedam. Essa busca da identidade da noviça pode ser sua salvação ou ruína. 
"Ida" é um filme de sensações que toca no coração do espectador. E acredito que essa seja uma das principais funções do cinema, tocar em assuntos delicados que provocam reflexões profundas em todos que assistem. 
O filme é muito bonito, sutil, frio, denso e reflexivo. As atuações são esplendorosas e a direção impecável, no entanto, pode não agradar todos os espectadores por ser lento. É daqueles filmes para assistir duas ou mais vezes para conseguir captar todas as nuances da história. 
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 82 minutos
Categorias: Drama
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 9,3

Nenhum comentário:

Postar um comentário