Filme: A Bruxa (2015) - Dicas de Filmes Pela Scheila

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Filme: A Bruxa (2015)

Quando comecei a assistir este filme, senti que algo estranho pairava no ar, alguma coisa estava prestes a acontecer e isso foi me deixando tensa, uma sensação ruim me sufocou durante todo o filme, e afirmo, sem nenhuma dúvida que, "The Witch" é um dos melhores filmes de terror de todos os tempos. 

Lançado em 2015, este filme de terror independente marca a estreia de Robert Eggers, que também tem uma ligação com o Brasil, pois foi financiado pela produtora RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira. 

Na primeira cena assistimos uma família em um tribunal sendo condenada por blasfêmia. Essa família se desliga da comunidade a qual pertencia e passa a residir ao lado de uma floresta onde cultivam o que consomem.

O ano é 1630, Nova Inglaterra. William (Ralph Ineson) e Katherine (Kate Dickie) levam uma fervorosa vida cristã juntamente com seus  filhos, Thomasin (Anya Taylor-Joy), Caleb (Harvey Scrimshaw) e os gêmeos fraternos Mercy (Ellie Grainger) e Jonas (Lucas Dawson), morando á beira de uma floresta misteriosa.

Vários meses depois, eles conseguem construir uma casa e Katherine dá à luz ao seu quinto filho, Samuel. Certo dia, enquanto Thomasin está brincando com o bebê, ele desaparece misteriosamente. Supostamente, Samuel foi raptado por uma bruxa que vive na floresta, ela usa o bebê para concretizar um ritual (cenas fortes).

A família fica devastada devido o desaparecimento do bebê, Katherine não se conforma e só chora. Caleb confronta seu pai sobre os ensinamentos religiosos e os gêmeos passam os dias brincando com um bode gigante, a quem chamam de Black Phillip. E Thomasin descobre que seus pais querem enviá-la para trabalhar em outro lar. Thomasin fica deseperada, e com ajuda de Caleb, fazem uma viagem de caça dentro da floresta. A partir daí começa o terrível drama desta família. (Sem mais revelações do enredo).

"A Bruxa" é um filme que instiga a nossa imaginação, e é aí que mora o perigo, ou melhor, a perturbação. Esse artifício foi muito bem trabalhado pelo diretor, é difícil assistir sem sair com o psicológico abalado. O filme assombra e adentra dentro dos nossos medos mais secretos. Afinal, quem nunca ouviu pelo menos uma história de bruxas. Não me refiro as bruxas de contos de fada, mas as feiticeiras que viviam em função das práticas de magia negra.

Boa parte da tensão deste filme está na sua ambientação, a fotografia turva causa assombro. Cenas de horror se misturam ao mistério que ronda aquela família. A simbologia impregnada em cada sequência é de causar calafrios até no espectador mais forte.

"A Bruxa" não é um filme apenas para ver, vai além disso, é preciso sentir cada cena, adentrar nos seus mistérios. Você não levará sustos, mas sentirá muito medo. A trilha sonora (ou a falta dela) é algo fantástico, tão perturbador quanto a história. O elenco é excelente, destaque para os elenco jovem, que interpretou perfeitamente.

Sufocante, intrigante e incômodo, é assim que defino essa obra diferente de tudo que já vi, e não estou exagerando, assista e comprove. No entanto, "
A Bruxa" é para pessoas que sabem apreciar os bons filmes, não espere sustos e gritos porque aqui não há, o que vemos é algo terrivelmente perturbador, que te deixará inquieto, calado e com o corpo todo dolorido devido a tensão provocada durante os 92 minutos. O filme consegue adentrar no nosso inconsciente e é capaz de provocar vários pesadelos, por isso não recomendo para pessoas sensíveis.

Duração: 92 minutos
Categorias: Terror, Mistério
Classificação: 16 anos
A Bruxa (2015)
INQUIETANTE; INCÔMODO; ENIGMÁTICO; PERTURBADOR