15 de fevereiro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Filme: "A Forma da Água (2017)"

"Eu digo seu nome em todas as minhas orações. Se há algum outro jeito de provar o quanto te amo, juro que não conheço. Você nunca saberá se não souber agora."

Cada pessoa tem um jeito particular de assistir filmes, o meu é adentrar dentro da história, e, durante os 123 minutos de "The Shape of Water" eu vi(vi) todas as sensações que a obra transmite, foi um turbilhão de emoções. Gratidão ao cineasta Guillermo Del Toro por ter me proporcionado essa experiência única.

Esse conto de fadas erotizado sombriamente foi dirigido pelo mexicano del Toro, que também assina o roteiro em parceria com Vanessa Taylor. Desde que estreou em 2017, o filme vem sendo aclamado pelo público e crítica, o que o torna um provável clássico futuramente.

Ganhou o Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Trilha Sonora e Melhor Direção de Fotografia, concorreu nas categorias de Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro Original, Melhor Figurino, Melhor Designer de Produção, Melhor Edição, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som, totalizando 13 nomeações. 

Venceu o  BAFTA nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Designer de Produção, também foi indicado como Melhor Filme,  Melhor Roteiro Original, Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Fotografia, Melhor Edição, Melhor Figurino, Melhor Som e Melhores Efeitos Visuais.

Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Diretor e Melhor Trilha Sonora para Filme, recebeu indicações nas categorias de Melhor Filme - Drama, Melhor Atriz de Filme - Drama, Melhor Ator Coadjuvante de Filme, Melhor Roteiro de Filme e Melhor Atriz Coadjuvante de Filme.

Venceu o Critics' Choice Awards nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Sonora, também foi indicado como Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro Original, Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Cabelo e Maquiagem, Melhor Edição e Melhores Efeitos Visuais. Esses foram os principais prêmios e indicações, não vou citar o restante para não alongar demais a postagem.
É 1963. Auge da Guerra Fria. Eliza Esposito (Sally Hawkins), uma mulher muda e solitária, trabalha como faxineira em um laboratório, ao lado da melhor amiga, Zelda (Octavia Spencer).
Fora do laboratório, Eliza tem uma relação bastante familiar com o vizinho Giles (Richard Jenkins), um homem solitário, apaixonado por cinema clássico, que está atrás de uma segunda chance profissional.
Mas a vida de Eliza sofre uma mudança drástica quando ela conhece uma criatura do rio, aprisionada por homens do governo. Ao descobrir que a criatura corre perigo de vida, a zeladora elabora um plano, e, com ajuda de Zelda e Giles, resgatam o Homem-Anfíbio (Doug Jones).
Todavia, viver fora do seu habitat natural acaba colocando a vida da criatura em risco, Eliza também precisará defender seu amado do inescrupuloso Strickland (Michael Shannon), chefe de segurança local, um homem impiedoso e tirano, que não medirá esforços até dar um fim a vida do Homem-Anfíbio.
"A Forma da Água" é uma fábula com toques sombrios, também é uma belíssima história de amor, Elisa e o Homem-Anfíbio são o espelho da sociedade moderna, diferentes entre si, mas que se reconhecem quando se encontram por terem um passado semelhante, de desprezo e exclusão. A fala a seguir confirma a minha opinião: "O que sou eu? Movo minha boca, como ele. Eu não emito som, como ele. O que ele faz comigo? Tudo o que sou, tudo o que tenho sido. Ele me trouxe aqui."
O cineasta Guillermo Del Toro nos presenteia com mais uma fantasia de excelência, entretanto, o diretor cria um ambiente dualmente realista e surrealista. A fantasia se completa com a realidade e vice-versa. A história se passa no auge da Guerra Fria, o medo de espiões russos deixa os americanos alertas 24 horas por dia. A disputa entre as duas grandes potências provoca o aprisionamento da lendária criatura, o Homem-Anfíbio é um deus para os nativos da América do Sul. Não resta dúvida que "A Forma da Água" é um filme de espionagem, mas acima de tudo é um romance de fantasia. Que belíssimo jeito de contar uma história atemporal.
Os cenários são um charme à parte, nos remete ao cinema clássico. O prédio aonde Eliza e seu vizinho Giles moram fica localizado acima de um velho cinema, daqueles com estrutura de anfiteatro e desperta uma vontade imensa de querer visitar. O filme é recheado de referências e homenagens ao cinema.
O roteiro é previsível, mas a experiência de assistir "A Forma da Água" é inesquecível. Emotivo sem ser piegas. Um romance incomum, improvável à primeira vista {ela = humana - ele = anfíbio} mas ambos se completam de tal forma que passamos a acreditar que eles eram da mesma espécie. Um amor tão bonito de ser visto, raro nos dias de hoje porque transmite pureza de sentimento. "A Forma da Água" foi feito para os sensíveis, para os sonhadores, para os sensoriais, para aqueles que ainda acreditam na beleza do amor e nas sutilezas da vida. 
Me faltam palavras para elogiar esse filme. "A Forma da Água" é uma história de amor, mas é bem mais que isso, é intenso, ousado, violento às vezes, também é sobre as minorias oprimidas que não tem voz nem vez na sociedade. Enfim, é um filme para ver, rever e continuar revendo por muitas vezes.
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 123 minutos
Categorias: Fantasia, Romance, Drama, Aventura, Thriller
Classificação: 16 anos
Minha Nota: 10,0

2 comentários:

Flavio disse...

Parece ser um excelente filme.

Ana Costa disse...

Excelente filme, desfrutei muito. Michael Shannon fez um ótimo trabalho no filme. Eu vi que seu próximo projeto, Fahrenheit 451 será lançado em breve. Acho que será ótimo! Adoro ler livros, cada um é diferente na narrativa e nos personagens, é bom que cada vez mais diretores e atores se aventurem a realizar filmes baseados em livros. Acho que Fahrenheit 451 sera excelente! Se tornou em uma das minhas histórias preferidas desde que li o livro, quando soube que seria adaptado a um filme, fiquei na dúvida se eu a desfrutaria tanto como na versão impressa. Acabo de ver o trailer da adaptação do livro, na verdade parece muito boa, li o livro faz um tempo, mas acho que terei que ler novamente, para não perder nenhum detalhe. Sera um dos melhores filmes de ficção acho que é uma boa idéia fazer este tipo de adaptações cinematográficas.