26 de junho de 2015

Textual description of firstImageUrl

Filme: "A Tortura do Medo (1960)"

"Cuidado" Cuidado! Cuidado!"

"Peeping Tom" é um filme perturbador, invasivo e sádico, que coloca o espectador como testemunha ocular, ou melhor, torna-se um cúmplice de um serial-killer que comete barbáries utilizando um câmera filmadora.

Essa obra de 1960 foi dirigida por Michael Powell, e chegou abalando o mundo do cinema, no mesmo ano em que outras produções estreavam, como "Psicose" de Alfred Hitchcock e "Os Olhos sem Rosto" de Georges Franju, mostrando que o mal poderia ser encontrado nos lugares mais improváveis.
Neste filme voyeur conhecemos Mark Lewis (Carl Bohem-Karlheinz Böhm), um cinegrafista que trabalha no estúdio de cinema. Porém, nas horas em que está de folga ele prepara um documentário em que filma os últimos instantes da vida de algumas mulheres, matando-as com um artefato que tem uma afiada lâmina postada no tripé de sua câmera.
Neste documentário indigesto, Mark tenta captar o medo estampado nos rostos das mulheres que serão mortas por ele.
Perfeccionista ao extremo, ele vai matando jovens mulheres até encontrar o seu take perfeito, o qual vai assistindo inúmeras vezes em uma sala escura de sua casa.
Esse distúrbio mental do rapaz surgiu ainda na infância, quando ele foi alvo de experimentos do pai com a psicologia do medo, que seguia o garoto atormentado com uma câmera, acordando-o à noite com flashes de luz em seu rosto, jogando um ameaçador lagarto na sua cama, entre outros momentos bizarros.
Mark sente-se predestinado a continuar as experiências bizarras do pai, assim, não se permite nenhum tipo de relacionamento amoroso com as mulheres, apenas sadismo reprimido.
Isso até conhecer a jovem Helen Stephens (Anna Massey), sua vizinha, pela qual ele se apaixona. O rapaz luta contra sua mente perturbada para não filmá-la.
Helen decide conhecer o apartamento de Mark, logo ele leva a moça até seu estúdio particular. Após ver os vídeos da infância, a garota o questiona sobre essa invasão de privacidade e, Mark responde que seu pai queria documentar uma criança crescendo, sendo assim, ele nunca teve nenhum momento de privacidade.
O voyeurismo nunca foi tão macabro quanto em "A Tortura do Medo" e afugentou o público dos cinemas, afinal, o espectador está junto com o assassino no momento em que os crimes são cometidos, já que o clímax de cada assassinato é filmado em 'primeira pessoa'. Os espectadores não estavam preparadas para este tipo de abordagem na época.
Outra constatação é que o filme quase arruinou a carreira do diretor que tinha grandes trabalhos no currículo como por exemplo: "Narciso Negro" e "Os Sapatinhos Vermelhos".
Desprezado pela crítica e pelo público, o filme precisou esperar mais de uma década até que foi redescoberto nos anos 70 e considerado, por realizadores e críticos como Martin Scorsese, Francis Ford Coppola, Peter Bogdanovich, Claude Beylie, entre tantos, uma obra-prima do cinema mundial.
"Você sabe qual é a coisa mais aterrorizante do mundo? O medo". Esta frase pronunciada por Mark Lewis define muito bem o filme, como o próprio cinema de horror em si.
"A Tortura do Medo" é um filme excelente, apesar do desconforto gerado em determinadas cenas, e merece ser visto por todos os fãs dos gêneros de terror e suspense. Gostei e recomento.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 101 minutos
Gênero: Thriller, Terror, Drama, clássico
Classificação: 16 anos
Minha Nota: 9,7

Nenhum comentário: