12/08/2017

Filme: "Austrália (2008)"

"As pessoas gostam de possuir coisas terras, bagagens, outras pessoas,e se sentem seguras com isso mas tudo isso pode ser tirada delas e no final a ultima coisa que você possui mesmo é sua história."

"Australia" é um belíssimo épico do diretor Baz Luhrmann que também assina o roteiro em parceria com Stuart Beattie, Ronald Harwood e Richard Flanagan. Estreou em 2008 e é o filme australiano de segunda maior bilheteria de todos os tempos, atrás de "Crocodile Dundee". Recebeu indicação ao Oscar na categoria de Melhor Figurino.

Os épicos estão entre os meus gêneros de filmes preferidos por envolver eventos históricos com grandes aventuras, e "Australia" conseguiu me conquistar já nos primeiros minutos. Começa leve, totalmente despretensioso, mas vai se tornando grandioso à medida que a história se desenrola. As piadas durante a trama casam perfeitamente com a narração, e nada fica fora de nexo. O filme lembra as grandes produções hollywoodianas da década de 1940, seja pelos figurinos ou pela maneira como a história é contada.

A história acontece entre 1939 e 1942, e é narrada pelo garotinho Nullah (Brandon Walters), filho de uma mãe aborígine e um pai branco.
Tudo começa quando Lady Sarah Ashley (Nicole Kidman) que vive em Londres, cansada da ausência do marido, decide ir até a Austrália reencontrar o esposo. No entanto, quando chega ao país, Lady Sarah descobre que o marido foi assassinado.
Enquanto isso, o ganancioso King Carney (Bryan Brown), está tentando monopolizar o mercado de gado e pretende comprar Faraway Downs de Lady Sarah, mas ela se recusa a vender e acaba comprando briga com todos os poderosos da cidade. As únicas pessoas com quem ela poderá contar serão os empregados da propriedade, o garotinho Nullah e o vaqueiro Drover (Hugh Jackman).
Determinada a salvar Faraway Downs, Lady Sarah precisa unir forças com o vaqueiro para conduzir 1.500 cabeças de gado de Darwin. Eles se deparam com diversos obstáculos ao longo do caminho, e contam com a ajuda de King George (David Gulpilil), um ancião aborígine, avô de Nullah.
Durante o transporte do gado, Lady Sarah e Drover se apaixonam. Ela então decide adotar Nullah, porém, o menino precisa seguir sua tradição, ele decide ir em uma caminhada (um rito de passagem) com seu avô, mas é capturado pelas autoridades e enviado para viver em Mission Island - um local onde vive as crianças meia-aborígenes (apelidada de gerações roubadas).
Lady Sarah não aceita ficar longe do garoto, isso gera uma grave discussão com o vaqueiro. O tempo passa, mas ela jamais desiste de procurar por Nullah, Em 1942, os japoneses atacam a ilha Darwin, e... momentos emocionantes se sucedem...
"Austrália" me deixou com lágrimas nos olhos praticamente o filme todo, e olha que o filme é longo, são 166 minutos de duração. No inicio parece uma comédia, com piadas deliciosas de ouvir, logo se transforma numa aventura eletrizante, que vira em uma história de amor e tragédia, daquelas que deixam o coração apertado.
Gostei do filme como um todo, mas fui conquistada pelo carisma do pequeno Brandon Waters, não conhecia praticamente nada sobre os aborígenes e fiquei encantada com história do povo e também com a canção que Nullah canta durante o filme. Realmente, é uma melodia mágica que transmite uma sensação agradável, impossível de descrever em palavras.
Hugh Jackman e Nicole Kidman também estão perfeitos em seus papéis. O relacionamento hilário entre o rude vaqueiro e a sofisticada Lady causam vários risos. Outra coisa que vale a pena destacar é a beleza espetacular do território australiano, através de planos abertos viajamos por uma paisagem selvagem magnífica.
A referência ao clássico "O Mágico de Oz" deixou "Austrália" ainda mais envolvente e emocionante, e assim como Dorothy, Lady Ashley afirma que não há lugar melhor do que nosso lar, e eu assino embaixo.
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 166 minutos
Categorias: Épico, Aventura, Romance, Guerra, Drama
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 9,6


Nenhum comentário:

Postar um comentário