21/04/2017

Filme: "Entre Dois Amores (1985)"

"Quando os deuses querem puni-lo, atendem as suas preces."

"Out of Africa" foi baseado na vida da Baronesa Karen Blixen e nos livros "Out of Africa", "Shadows on the Grass" e "Letters from Africa", escritos por ela sob o pseudônimo de Isak Dinesen.  

Produzido e dirigido pelo cineasta Sydney Pollack e roteirizado por Kurt Luedtke, este clássico oitentista, lançado em 1985, ganhou o Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhores Efeitos Sonoros, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte e Melhor Roteiro Adaptado, também recebeu indicações nas categorias de Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Figurino e Melhor Edição. Além de ganhar diversos prêmios importantes do cinema ao redor do mundo.

Sem dúvida, "Entre Dois Amores" mereceu cada prêmio que recebeu. O filme é belíssimo em todos os quesitos. As paisagens estonteantes são capazes de hipnotizar até o espectador mais distraído, e a história é fascinante, principalmente por ser verídica e por mostrar que o amor pode surgir onde menos se imagina.
Na trama, Karen (Meryl Streep), filha de uma abastada família dinamarquesa, chega à África em 1913, a fim de se casar por conveniência com o Barão Bror Blixen (Klaus Maria Brandauer). Após a cerimônia do casamento, o casal se dirige para a fazenda situada ao pé dos Montes Ngong, no Quênia.
Passados alguns dias, ao procurar pelo marido, Karen recebe a informação que ele saiu para mais uma de suas caçadas, devendo voltar pouco antes das chuvas, o que pode representar uma ausência de muitos dias ou meses. Para piorar a situação da baronesa, seu esposo decide lutar na Primeira Guerra Mundial.
Karen leva uma vida solitária, cuidando da fazenda e contando sempre com a ajuda de Farah (Malick Bowens), seu fiel empregado. Certo dia ela conhece dois novos amigos, Denys Finch Hatton (Robert Redford), um charmoso aventureiro britânico, e seu compatriota Berkeley Cole (Michael Kitchen).
Enquanto o marido está no campo de batalha, a baronesa desenvolve um forte apego pela terra, crescendo seu interesse pelas plantações de café. Porém, ela contrai sífilis do marido, que a obriga a retornar à Dinamarca para tratamento. Após voltar ao Quênia, Karen aceita acompanhar Denys em um de seus safáris. E, aos poucos, vai surgindo um amor arrebatador entre os dois.
Sempre aventureiro, Denys compra um pequeno avião e aprende a pilotá-lo. Em sua primeira ida à fazenda de Karen, ele a convida para um passeio pelos céus do Quênia, mostrando-lhe suas cachoeiras, crateras, planícies, colinas, montanhas e vales. 
Todavia, Karen terá que enfrentar muitas provações, e ao lado de Denys descobrirá que é possível amar mesmo tendo enormes diferenças entre si, mas, estas mesmas diferenças podem contribuir para o desastre dessa relação que tinha tudo para dar certo.
"Entre Dois Amores" é um filme para ser assistido calmamente, apreciando cada paisagem, cada detalhe da história. Durante 160 minutos acompanhamos diálogos memoráveis e situações incríveis, quase inacreditáveis se não fosse inspirado em fatos reais. 
Mas infelizmente, ganhar o Oscar naquele ano do favoritíssimo "A Cor Púrpura" fez com que muitos desprezassem este belo filme. Eu gostei muito do que vi, e claro que foi mais um clássico dos anos 80 que entrou para a minha lista de filmes prediletos. E a linda e triste história entre Karen e Denys é uma das mais belas histórias de amor que o cinema já mostrou.
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 160 minutos
Categorias: Biografia, Drama, Romance, Clássico
Classificação: 16 anos
Minha Nota: 9,7

Nenhum comentário:

Postar um comentário