14/02/2017

Filme: "Mulheres do Século XX (2016)"

"Perguntar se você é feliz é uma ótima forma de ficar deprimido."

"20th Century Women" é outro filme indie que me surpreendeu positivamente. A história é simples, mas vai crescendo que se torna grandiosa. Com uma pegada setentista - a trama se passa em 1979 - o filme aborda temas bem atuais e relevantes, e mostra o desafio de uma mulher de 55 anos, divorciada e com um filho adolescente, vivendo numa época de grandes mudanças.

Escrito e dirigido por Mike Mills, "20th Century Women" é uma carta de amor a todos que viveram a euforia psicodélica e todas as mudanças que ocorreram nos anos 70. 

Foi lançado em 2016 no Festival de Cinema de Nova York, o filme recebeu indicação ao Oscar na categoria de Melhor Roteiro Original. Foi indicado ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Atriz de Comédia e recebeu duas indicações no Spirit Awards, Melhor Roteiro e Melhor Atriz.

A trama se passa na Califórnia e retrata a vida de Dorothea Fields (Annette Bening), uma mãe que está enfrentando dificuldade ao educar seu filho adolescente (Lucas Jade Zumann).
Na educação de Jamie, Dorothea conta com a ajuda de duas mulheres mais jovens, Abbie (Greta Gerwig), uma artista punk que aluga um quarto na casa dos Fields, e Julie (Elle Fanning), uma inteligente e provocadora adolescente que é a melhor amiga do garoto.
Dorothea conta também com a ajuda de William (Billy Crudup), um homem solitário que está trabalhando na reforma da casa e se torna seu amigo.
Percebe-se pela sinopse que "Mulheres do Século XX" é um filme com alma feminina, que retrata os dramas vividos por três mulheres de idades diferentes, mas com dilemas e questionamentos muito parecidos. Elas tentam descobrir quem são em meio a tantas mudanças.
Em "Mulheres do Século XX", os personagens com personalidades tão diferentes tentam transmitir ao espectador o tempo de mutação que foram os finais dos anos 70, sobretudo na cultura e na história americana que rapidamente se espalhou pelo mundo.
"Mulheres do Século XX" é um filme poderoso, tem uma história envolvente e uma fotografia encantadora (quem viveu a década de 70 certamente se identificará com o visual). A trilha sonora também é magnifica. O discurso realizado lá pelas tantas do filme é bem atual, segue um trecho: "...Muitos de nós hoje veneramos a auto-indulgência. E o consumismo. Mas descobrimos que possuir coisas, e consumir coisas. Não satisfaz a nossa busca por significado...".
 Gostei bastante do filme e recomendo a todos. Vale cada minuto assistido.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 119 minutos
Categorias: Drama, Comédia
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário