31/01/2017

Filme: "Docinho da América (2016)"

"Alguém ainda assina revistas?"

"American Honey" é um filme curioso e apaixonante ao mesmo tempo, que encanta em vários momentos, aborrece em outros tantos, mas nunca deixa de exercer uma fascinação ou uma vontade estranha em nós de largar tudo e sair pelo mundo sem eira nem beira. Outro fato curioso deste filme é o uso da câmera de mão, dando um ar de veracidade a história que em diversos momentos lembrando um documentário sobre jovens rebeldes.

Esse road movie é um filme independente dirigido pela cineasta e roteirista Andrea Arnold. Foi apresentado pela primeira vez no Festival de Cannes em 2016 e concorreu à Palma de Ouro. Entre diversas vaias e inúmeros aplausos de pé, o filme ganhou o Grande Prêmio do Juri e Menção Especial do Júri e ainda vencedor do British Independent Awards em quatro categorias: Melhor Filme Independente, Melhor Diretora, Melhor Atriz e Melhor Fotografia e também foi indicado a diversas categorias no Independent Spirit Awards.

Na trama, acompanhamos a história de Star (Sasha Lane), uma jovem que acabara de completar 18 anos e que cata restos no lixo de um supermercado para alimentar seus enteados, e convive com o namorado constantemente bêbado e agressivo.
Cansada desse ambiente que a oprime, a moça larga tudo e parte rumo à estrada após conhecer o excêntrico Jake (Shia LaBeouf). Junto deles está uma trupe jovial, liderada pela durona Krystal (Riley Keough).
Os jovens vendem assinaturas de revistas, no esquema de porta-em-porta, viajando numa van. Todos eles tem histórias parecidas, abandonaram uma vida de lares desfeitos e nenhum apego emocional ou afetivo para viver uma vida na estrada repleta de aventuras.
A tradução do título em português mostra que quem traduziu não havia assistido, pois "Docinho da América" não tem nada a ver com o conteúdo do filme. 
Contrariando algumas críticas que li, afirmo que "American Honey" é ótimo, e seus 163 minutos de duração passaram voando. Embarcamos, junto com Star, numa jornada através do meio-oeste americano, passando por estados como Nebraska, Kansas, Missouri e Lowa, vemos situações precárias vividas por várias famílias norte-americanas (quebrando o tão famoso sonho americano da vida feliz), e também acompanhamos o processo de amadurecimento da garota, mesmo que este venha à duras penas.
A cineasta Andrea Arnold recria o universo dos jovens em uma crônica romântica irresistível sustentada pela sensibilidade, que torna seu filme numa experiência poética e inesquecível a todos os espectadores. Além da direção segura, as atuações são excelentes, principalmente da estreante Sasha Lane, ela está tão natural no filme que passa a impressão de ser ela mesma, não um personagem. 
"American Honey" não é somente aventura, também tem uma pitada de romance: ocorre quando a amizade entre Star e Jake se transforma numa louco amor que é posto à prova e oscila entre altos e baixos, pois essa paixão será difícil de se concretizar devido às regras impostas por Krystal, a chefe do grupo, que não aprova relações amorosas no grupo.
E por falar em Riley Keough, poucos sabem que a atriz é neta de Elvis Presley. "American Honey" não fala apenas sobre jovens que se rebelam, vai além, mostra uma sociedade economicamente arruinada, tanto financeiramente quanto moralmente. O tom denunciatório da produção está sempre presente na narrativa, e mesmo sendo um filme lento e contemplativo não é cansativo, as quase três horas passam voando.
Outro ponto positivo de "American Honey" é a trilha sonora maravilhosa, com muito Country, Rap, Pop e R&B. E o desfecho icônico não poderia ser melhor. Finalizou essa obra apaixonante de maneira poética. Gostei muito do que assisti e recomendo.
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 163 minutos
Categorias: Drama, Indie
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 9,8

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo Correspondente