13/12/2016

Filme: "Simplesmente Amor (2003)"

"Dizem que vivemos em um mundo de ódio e ganância, mas eu não vejo assim. Me parece que o amor está em toda parte, às vezes sem dignidade ou desinteressante, mas está sempre lá."

Assistir "Love Actually" faz bem ao coração, pois é um filme leve, divertido e que exala amor, porque o amor está em toda parte. E o filme mostra que existem milhares de formas de amar, e outras milhares de demonstrar esse belo sentimento. O amor pode ser puro, apaixonante, doloroso, traiçoeiro, manipulador, singelo, honesto, desafiador... são tantas maneiras de amar que se fosse citar todas não sobraria espaço para comentar sobre a sinopse do filme. 

Para tentar mostrar ao público algumas formas de amar, o cineasta e roteirista Richard Curtis dividiu seu filme em histórias paralelas. "Love Actually" foi lançado em 2003 e recebeu diversas indicações e prêmios importantes, inclusive o Globo de Ouro na categoria de Melhor Performance de Ator Coadjuvante.

Apesar da crítica cinematográfica detonar o filme na época de seu lançamento, a obra foi eleita como uma das 15 Melhores Comédias Românticas de Todos os Tempos

A trama se passa em Londres e começa cinco semanas antes do Natal, mas logo passa para uma contagem regressiva semanal até o dia de Natal, seguido de um epílogo que ocorre um mês depois.

Primeira história: o primeiro-ministro do Reino Unido (Hugh Grant), recentemente eleito, acaba se apaixonando por uma funcionária do seu gabinete, Natalie (Martine McCutcheon). 
Segunda história: o escritor (Colin Firth) parte em viagem para o sul da França para acabar de escrever o seu livro e acaba por se apaixonar por Aurélia (Lúcia Moniz), uma jovem que não fala seu idioma.
Terceira história: Karen (Emma Thompson) está desconfiada que seu marido Harry (Alan Rickman), está traindo-a com uma colega de trabalho.
Quarta história: a jovem Juliet (Keira Knightley) se casou recentemente, e começa a desconfiar dos olhares e intenções de Mark (Andrew Lincoln), o melhor amigo do seu marido.
Quinta história: o garotinho Sam (Thomas Sangster) está descobrindo as delícias e amarguras do amor, ele é bastante tímido tem por objetivo chamar à atenção da menina mais popular e bonita da escola (Olivia Olson).
Sexta história:  A jornalista Sarah (Laura Linney) finalmente tem a chance de sair com Karl (Rodrigo Santoro), por quem mantém uma paixão secreta e sente medo de não ser correspondida.
Sétima história: Billy Mack (Bill Nighy), com a ajuda do seu amigo e gerente Joe (Gregor Fisher), procura retomar a sua carreira como estrela de rock, lançando um sucesso na época de Natal.
A vida de todos estes personagens vão se interlaçando, e no decorrer do filme são modificadas pela presença do amor em suas vidas. Existem duas subtramas fraquinhas: a primeira é aquela que envolve Colin (Kris Marshall), um rapaz que decide viajar para os Estados Unidos por julgar que seu sotaque o ajudará a conquistar muitas mulheres e a segunda diz respeito a um casal de stand-ins (profissionais que assumem a posição dos atores durante a preparação de uma tomada). Mas essas histórias não estragam o desenvolvimento da trama.
O diretor Richard Curtis foi muito hábil na construção das histórias, que são geralmente recheadas com seu humor tipicamente britânico. O filme dificilmente decepciona o espectador, mesmo aqueles mais exigentes. Não sou fã de comédias românticas, mas também não tenho nenhum preconceito, assisto sempre que posso porque sei que terminarei de ver o filme com um sorriso largo no meu rosto. Filmes como "Simplesmente Amor" faz um bem danado a todos aqueles que o assistem.
"Simplesmente Amor" é um filme simples, mas que encanta o espectar por expressar o amor nas mais variadas formas, a trilha sonora espetacular e a forma orgânica como as histórias são contadas é o que torna esta fábula moderna indispensável na época natalina. 

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 135 minutos
Categorias: Comédia, Romance, Drama
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 9,4

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo Correspondente