28/12/2016

Filme: "A Loja da Esquina (1940)"

"Há tantas coisas bonitas nesse nosso mundo. Seria um desperdício partilhar detalhes vulgares sobre como ganhamos a vida. Não façamos isso."

"The Shop Around Corner" é uma adorável comédia romântica da década de 40. Terminei de assisti-lo com um sorriso radiante no rosto. O filme é cativante, terno, charmoso e delicioso de assistir. Os personagens são tão carismáticos que dá vontade de tirá-los do filme e trazer para a vida real, e apesar de explorar temas tristes (traição e falta de empatia), o filme transmite uma sensação de paz e leveza. 

Lançado em 1940, foi realizado pelo cineasta alemão Ernst Lubitsch, sendo baseada no livro de Miklós László e adaptada para o cinema por Samson Raphaelson com a ajuda de Ben Hech.

De acordo com as leis brasileiras, o filme encontra-se em domínio público. Está disponibilizado no meu perfil no VK para quem desejar assistir online ou fazer download.

Em Budapeste está loalizada uma conhecida loja de presentes que se chama, Matuschek. Nesta loja trabalha Alfred Kralik (James Stewart), vendedor experiente que o Sr. Matuschek (Frank Morgan) considera como um filho.
Kralik está se correspondendo anonimamente com uma jovem. Por coincidência, Klara (Margaret Sullavan) acaba sendo contratada para trabalhar na loja. No trabalho, Kralik e Klara passam a se estranhar frequentemente, mas esse clima de irritação é atenuado pelo fato dos dois terem seus correspondentes anônimos. Mas eles nem imaginam que estão trocando cartas entre si mesmos.
Com o Natal se aproximando, a loja torna-se cada vez mais movimentada. E Kralik começa a notar que o Sr. Matuschek vem mudando a forma de se relacionar com ele, agindo de maneira bastante fria toda vez que lhe dirige alguma palavra. Kralik acaba sendo demitido sem nenhuma explicação.
O tão sonhado primeiro encontro torna-se ameaçado, já que Kralik, atordoado por sua demissão, não se sente mais tão motivado para o mesmo. Mas sua curiosidade o faz ir até o restaurante, e para sua surpresa, descobre ser Klara sua correspondente anônima.
A partir desse momento, Kralik percebe que esteve o tempo todo enganado em relação à Klara, e que sua irritação nada mais era que uma forma de mascarar a atração que sentia pela jovem. Enquanto isso, lá na loja, o Sr. Matuschek tem uma reunião com um detetive particular. Após vários acontecimentos durante a noite, no dia seguinte, Kralik volta à loja onde é recebido com alegria por seus colegas e amigos.
Os dias passam e na véspera de Natal muitas surpresas podem acontecer...

Como já mencionei no início da postagem, "A Loja da Esquina" é uma das comédias românticas mais deliciosas de assistir. Este filme é um verdadeiro primor, desde os cenários até os diálogos, tudo foi muito bem elaborado.
Quem acompanha as postagens sabe do meu apreço pelas comédias da década de 30 e 40, até o momento não listei uma que fosse razoável, todas são de ótimas a excelentes. E "A Loja da Esquina" é um filme tão sofisticado que lembra as obras de Frank Capra (o qual sou fã assumidíssima). Neste filme, o sorriso está estampado no rosto dos personagens, mas às vezes aparece melancólico, já que é grande a humanidade que emana de cada um deles: sonhos, limitações, medos, desilusões, a vida em seus altos e baixos, a vida na tela é tão real quanto na vida real. Os empregados deixam transparecer em cada olhar, a alegria e a tristeza nas funções mais simples que lhe cabem em seu cotidiano.
Tenho imenso prazer em recomendar esse belíssimo clássico natalino, "A Loja da Esquina" é um filme que faz bem assistir.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 99 minutos
Categorias: Comédia Romântica, Drama, Clássico, Domínio Público
Classificação: Livre
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo Correspondente