11/12/2016

Filme: "Glória Feita de Sangue (1957)"

"Não tenho medo de morrer amanhã, e sim de ser morto."

"Paths of Glory" é um filme poderoso, atemporal e, tão soberbo como poucos filmes conseguem ser. Além da qualidade técnica (perfeito em todos os quesitos), os temas abordados impressionam pela sua atualidade, mesmo após seis décadas, pouca coisa mudou. A falta de ética, a busca incansável pelo poder e a manipulação da justiça estão impregnados na nossa sociedade, infelizmente.

Esse clássico anti-guerra sobre a Primeira Guerra Mundial foi lançado em 1957, sendo baseado no controverso e semi-ficcional livro "Path of Glory" de Humphrey Cobb, de 1935. Realizado pelo grande cineasta Stanley Kubrick, que também assina o roteiro ao lado de Calder Willingham e Jim Thompson. Recebeu diversos prêmios importantes ao redor do mundo e se consagrou em um dos maiores clássicos de guerra do cinema mundial.

Na trama, voltamos para a França de 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, o Gen. Georges Broulard (Adolphe Menjou) fala para seu Assessor, Gen. Paul Mireau (George Meeker), sobre seus planos para tomar uma fortificação inimiga nas próximas 48 horas.
Ao ficar sabendo do plano, o Coronel Dax (Kirk Douglas) mostra-se atônito por saber que o mesmo é inviável, pois é suicida. No entanto, Mireau o ameaça de tirá-lo do comando se ele não concordar com o ataque proposto.
Durante a madrugada, Dax comanda o ataque. Como já era de se imaginar, o mesmo é um grande fracasso, com muitas baixas. Mireau ordena um segundo ataque, ao verificar que a Companhia ainda se encontra nas trincheiras. Como os soldados não atendem à ordem, por julgarem suicida, Mireau ordena ao Capt. Rousseau (John Stein)que abra fogo contra suas próprias trincheiras, alegando insubordinação.
Para evitar admitir que o plano era inviável, Mireau instala uma Corte Marcial para punir todo o Regimento por covardia, e são escolhidos o cabo Philippe Paris (Ralph Meeker) e os soldados Pierre Arnaud (Joe Turkel) e Maurice Ferol (Timothy Carey) para serem submetidos à Corte Marcial. Durante o julgamento, Dax assume o papel de defensor dos três militares. De um lado está a honra, do outro lado a ambição... Qual irá vencer?
Em "Glória Feita de Sangue" vemos a enorme distância que há entre aqueles que recebem ordens e lutam na linha de frente, e seus superiores que dão as ordens mas não são atingidos pelos estrados da guerra. Na Primeira Guerra Mundial, a artilharia pesada matou mais de 1,7 milhão de soldados franceses e alemães em poucos meses nas batalhas de Verdun e do Somme. o que este clássico faz é justamente denunciar os desmandos de generais mais preocupados com reputação e carreira do que com os homens que tombam em campo. Na guerra nao existem inimigos, existem pessoas lutando de lados opostos, porque o verdadeiro vilão reside dentro das Companhias.
Com direção segura e irretocável de Kubrick. Atuações dignas de Oscar (infelizmente não recebeu nenhuma indicação, o que eu considero uma grande injustiça). Fotografia impressionante, uma das mais belas que já tive o prazer de contemplar. Trilha sonora excepcional. "Glória Feita de Sangue" é um filme perfeito, mas vai além da beleza estética, o filme consegue expor diante dos nossos olhos toda a estupidez da guerra e hipocrisia humana. 
"Glória Feita de Sangue" é um filme essencial para todos os apreciadores de bons filmes. Um clássico atemporal que vale cada minuto assistido.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 88 minutos
Categorias: Guerra, Drama, Histórico, Clássico
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo Correspondente