03/10/2016

Filme: "Mogli: O Menino Lobo (2016)"

"Se não aprender a correr com a matilha, vai acabar virando o jantar de alguém."

A Disney está revisitando seus clássicos e recriando-os em live-action. Essa ideia deu certo em algumas obras como "Malévola" e "Cinderela", e o mais novo conto recontado foi do menino lobo no filme "The Jungle Book". Dirigido por Jon Favreau e escrito por Justin Marks, este filme precisou de muitos efeitos de computação gráfica para representar os animais e os cenários. Mas valeu a pena, o resultado final rendeu aclamação mundial por parte da crítica e público. 

O filme todo é narrado pelos olhos de uma criança, o pequeno Mogli, isso serviu para enriquecer ainda mais a fábula, pois enxergamos um mundo mágico vivendo naquela floresta, e nos deixamos levar pela fantasia. Assistir este filme nada mais é que adentrar em um universo paralelo, onde tudo é possível. 

Baseado no "The Jungle Book" (O Livro da Selva ) de Rudyard Kipling, e no clássico da Disney de 1967, esse lançamento de 2016 provavelmente estará na disputa de algumas categorias do Oscar 2017.
A história é simples, um menino é abandonado ainda bebê na selva. A criança é então criada por uma alcateia. Com o passar do tempo, o pequeno Mogli (Neel Sethi) é aceito como uma das criaturas da floresta e tem fidelidade aos animais que ajudaram em sua criação.
Tudo transcorre na perfeita paz, até aparecer o tigre Shere Khan (Idris Elba), que carrega cicatrizes causadas por um humano e promete eliminar o menino, pois considera uma ameaça. Consequentemente, coloca a harmonia da floresta em risco.
Forçado a abandonar o único lar que conhece, Mogli embarca em uma cativante jornada de autoconhecimento, guiado pelo seu amigo pantera Bagheera (Ben Kinsgley).  Logo o garoto conhece o amalucado urso Baloo (Bill Murray) e se tornam grandes amigos.
Mas nem tudo são flores nessa jornada, Mogli encontra criaturas da selva que não são exatamente bondosas, incluindo Kaa (Scarlett Johansson), uma cobra cuja voz sedutora e olhar penetrante hipnotizam o menino.
O garoto também conhece Rei Loiue (Christopher Walken), um nobre orangotango de fala mansa que tenta convencer Mogli a contar o segredo da ilusória flor vermelha mortal: o fogo. Tão temida entre os animais da floresta.
Visualmente, "Mogli: O Menino Lobo" é belíssimo, os efeitos de computação gráfica são tão realistas que impressionam o espectador. Além de encantar as crianças, o filme também funciona como uma recordação da infância para os adultos mais notálgicos. 
Em "Mogli: O Menino Lobo", existe na selva uma organização que serve para estabelecer os personagens de maneira mais verossímil. Temos então os elefantes, que são reverenciados como os criadores da floresta, a matilha de lobos que possui uma hierarquia interna, os macacos são organizados politicamente. Cada espécie tem suas próprias leis e todos vivem em harmonia. E durante a jornada de Mogli, vamos descobrindo junto com o garoto, os problemas que assolam todos os animais, como a injustiça, a mentira e a ambição.
O filme lembra, em partes, o original, abordando praticamente todos os conflitos existentes no clássico de 1967, entretanto, traz alguns fatos desconhecidos até então, enfatizando a família de lobos do menino e trazendo belíssimas lições de moral.
Enfim, "Mogli: O Menino Lobo" é um espetáculo de filme, que mesmo com alguns probleminhas no roteiro, não perdeu seu brilho. É um filme à moda antiga que merece ser visto por toda a família. A aventura de Mogli me conquistou e certamente te conquistará também.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 106 minutos
Categorias: Aventura, Família, Drama, Fantasia
Classificação: 10 anos
Minha Nota: 9,6

Nenhum comentário:

Postar um comentário