21/08/2016

Filme: "Um Estranho no Ninho (1975)"

"A imaginação é capaz de atravessar qualquer prisão."

Lançado em 1975, "One Flew Over the Cuckoo's Nest" é um filme impressionante em todos os aspectos. Dirigido pelo cineasta tcheco Miloš Forman, foi baseado no aclamado bestseller escrito por Ken Kesey, que escreveu suas próprias experiências quando trabalhou em um centro psiquiátrico na Califórnia.

Este clássico dos anos 70 é um dos filmes mais importantes de todos os tempos. Ganhou vários prêmios importantes do cinema, incluindo as cinco principais estatuetas do Oscar 1976 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator, Melhor Atriz e Melhor Roteiro Adaptado. Também foi indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Edição, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora Original.

Quando decidi assistir o filme, já sabia que era uma das melhores interpretações de Jack Nicholson, mas confesso que fui surpreendida. O ator está está impecável no seu papel. A história é incrível e chocante, prendeu minha atenção já nos primeiros minutos. Enquanto assistia surgiu um questionamento que continua me intrigando: "Quem realmente são os normais e quem são os loucos neste mundo?"

A trama gira em torno de Randle Patrick McMurphy (Jack Nicholson), um prisioneiro de 38 anos que simula estar louco para não trabalhar numa penitenciária rural. Ele então é transferido para uma Instituição especializada em doentes mentais, o Oregon State Hospital/Asylum, localizado em Salem.
Ao chegar à referida Instituição, ele é recebido pelo médico-chefe, Dr. John Spivey (Dean R. Brooks), que lhe apresenta as razões de estar ali, depois é encaminhado ao pavilhão supervisionado pela rigorosa enfermeira Mildred Ratched (Louise Fletcher). A enfermeira é uma mulher fria, que não demonstra fraqueza nem emoções. Mas é uma profissional dedicada com suas maçantes sessões de terapia de grupo.
Nesse mundo paralelo, McMurphy se vê permanentemente cercado de pessoas ansiosas e constantemente dopadas. É aí que ele percebe que o hospital pode ser bem pior que a antiga penitenciária rural. 
Logo, ele passa a discordar de uma série de regras autoritárias impostas pela enfermeira, bem como, com o fato de seus companheiros viverem sempre dopados, McMurphy altera a rotina do hospital ao estimular os internos a se revoltarem e a lutarem por condições melhores de tratamento.
Durante uma reunião no escritório do Dr. Spivey, os outros médicos da instituição concordam que McMurphy é um 'homem perigoso' e não um doente mental, e possivelmente uma ameaça para o hospital. No entanto, a enfermeira Ratched, é favorável a mantê-lo no Hospital, para que dessa forma possa dominá-lo.
O confronto entre entre McMurphy e a enfermeira Ratched vai permear durante todo o filme. Porém, McMurphy não faz ideia das consequências que pode sofrer ao desafiar os profissionais deste centro psiquiátrico.
"Um Estranho no Ninho" é um belíssimo drama que se passa praticamente inteiro dentro de uma instituição para doentes mentais. Ao longo do filme vamos acompanhando a rotina massante das pessoas que convivem naquele local, tanto profissionais quanto pacientes. O ótimo roteiro de Bo Goldman e Lawrence Hauben desenvolve perfeitamente cada personagem. Todos brilham em seus papéis e transmitem ao espectador um misto de sentimentos que vão desde a solidão até ataques enfurecidos de raiva.
Sabemos que ao longo dos séculos, os tratamentos destinados aos doentes mentais foram os mais perversos possíveis. Não sei como funcionam atualmente as clinicas especializadas em tratar de doentes mentais, mas no filme percebemos claramente que, o que estava faltando para os pacientes daquela instituição era um pouco de carinho. Após ver o filme, passei a imaginar se, isolar pessoas com doenças mentais é, de fato, o melhor tratamento. É importante retirar do convívio social, pois muitos podem representar algum perigo, não só a sociedade mas a eles mesmos, porém, isolá-los dentro da instituição chega a ser desumano. Antes de serem considerados loucos, eles são seres humanos.
"Um Estranho no Ninho" foi filmado em uma clínica de verdade, esse fato nos permite imaginar o quanto a vida nessas instituições eram gélidas e assustadoras. Com grades, trancas e cores sólidas, que refletem uma imagem sombria e triste. Tudo o que vemos é tão real, tanta tristeza e tanta frieza. Será mesmo que essas pessoas poderiam ser curadas num local assim? Sinceramente, acredito que não.
O desfecho do filme é, no mínimo, impactante. Mais uma vez fui pega de surpresa, pois não imaginada um final tão derradeiro. Fiquei sem chão, passei dias refletindo sobre aquelas cenas finais e, conclui que, apesar de assustador, foi uma grande prova de amizade e lealdade.
Concluo que, vivemos pensando que somos livres, no entanto, estamos seguindo uma trajetória já predestinada, e devido as regras estabelecidas pela nossa sociedade, muitos de nós nos sentimos 'estranhos no ninho' por não seguir esse padrão pré-definido.

"Um Estranho no Ninho" é um clássico atemporal do mais alto quilate, um filme que todos devem ver pelo menos uma vez na vida devido a sua grandiosidade e qualidade. É daquelas obras que beiram a perfeição.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 133 minutos
Categorias: Drama, Clássico
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário