07/08/2016

Filme: "A Outra (2008)"

"Estamos oferecendo nossas filhas feito gado ao assédio dos homens."

Por mais impressionante que possa parecer, este filme é baseado numa história real ocorrida no Século XVI na Inglaterra, e que marcou o reinado do Rei Henrique VII, pois ele quebrou o elo com a Igreja Católica e fundou a Igreja Anglicana para satisfazer a vontade de uma plebeia que veio a se tornar rainha.

O roteiro de "The Other Boleyn Girl" foi escrito por Peter Morgan, sendo baseado no livro "A Irmã de Ana Bolena", escrito por Philippa Gregory e lançado em 2001. O filme foi dirigido por Justin Chadwick e o lançamento aconteceu em 2008.

A trama é ambientada na realeza e mostra o polêmico casamento do Rei Henrique VII (Eric Bana) com Anne Bolenyn (Natalie Portman). Mas a história começa muito tempo antes desta união. Ainda criança, Anne Boleyn (Daisy Doidge-Hill) recebe uma proposta de casamento da família Carey. Mas seu pai, Sir Thomas Boleyn (Mark Rylance) vê na filha melhores oportunidades do que a irmã, Mary (Kizzy Fassett).

Entretanto, ele promete Mary em casamento no lugar de Anne. O tempo passa, e quando chega a idade para se casar, Mary (Scarlett Johansson) está preparada para começar uma nova vida ao lado de William Carey (Benedict Cumberbatch).
Todavia, o Rei da Inglaterra, Henry Tudor (Eric Bana) recebe a notícia de que mais um filho seu morreu no parto. Bem articulado na Corte, o Duque de Norfolk, Thomas Howard (David Morrissey) busca aproveitar-se da insatisfação do Rei com sua Rainha, Catarina de Aragão (Ana Torrent), para introduzir a sobrinha Anne como amante do rei.
Mas o rei acaba se encantando por Mary, e esse fato desenvolve uma competitividade entre as irmãs e dá largada a uma série de acontecimentos que mudariam a história da Inglaterra para sempre.
Ao assistir este filme, mil pensamentos se passaram na minha mente, e de uma coisa tenho certeza, nunca mais vou reclamar de viver no Século XXI. A ânsia pelo poder e status chega a ser degradante, talvez isso não tenha mudado muito, porém, nos dias atuais não vemos filhas e sobrinhas sendo oferecidas 'igual gado' para serem amantes de reis e duques. Passei o filme todo pensando: será que as mulheres dos séculos passados aceitavam tão passivamente as determinações de suas famílias? E os maridos aceitavam tranquilamente que suas esposas se prostituíssem em troca de status de nobreza na corte?
Outro fato que chamou a minha atenção neste filme é que nem os filhos homens tinham o direito de escolher seu próprio destino, isso fica evidente através do personagem George Boleyn (Jim Sturgess), irmão de Anne e Mary. O rapaz acaba casando forçado com uma moça que ele não amava e traçando um trágico destino.
"A Outra" é um filme bem interessante sobre a realeza inglesa do século 16, mas a história foi bastante romanceada. De acordo com a História Oficial, a primeira competição das irmãs pelo 'cargo' de amante do rei nunca existiu. Anne apareceu na Corte inglesa depois que Mary já era amante do Rei. Ela chegou realmente a ter um romance com Henry Percy (Oliver Coleman), mas foi impedida pelo pai de seguir com ele. 
A futura rainha voltou para a convivência da Corte inglesa em 1525 e, dois anos depois, foi pedida em casamento pelo rei. Sem ceder aos apelos de Henrique VIII para que ela se tornasse sua amante, Anne seguiu na Corte aumentando a sua influência ao estreitar laços de amizade com o embaixador francês Monsieur de la Pommeraye, uma relação que não foi mostrada no filme.
Outro fato curioso que também não foi mostrado no filme é que o rei casou-se com Anne secretamente em janeiro de 1533, antes mesmo de ser anunciado oficialmente a sua separação da Rainha Catarina de Aragão. Somente em junho Anne foi coroada oficialmente Rainha da Inglaterra. E segundo a História, Anne não era inocente como mostra no filme, ela consumou a relação incestuosa gerando um filho que nasceu morto.
Mas deixando a História Oficial de lado, o filme é lindíssimo visualmente, os cenários e figurinos são perfeitos e nos remetem à Inglaterra do século 16. É recheado de intrigas, jogos de poder e sedução que revelam o lado 'podre' da realeza. Outro ponto positivo é o elenco, com ótimas atuações e um quarteto de artistas que sou fã: Benedict Cumberbatch, Eddie Redmayne, Natalie Portman e Scarlett Johansson. 
Não espere ver uma aula de história, mas é um ótimo filme que gostei e recomendo.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 115 minutos
Categorias: Biografia, Histórico, Drama, Romance
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 9,4

Nenhum comentário:

Postar um comentário