07/06/2016

Filme: "Romeu e Julieta (1936)"

"Melancólica paz nos traz esta manhã. O sol, de luto, não se mostrará. Embora daqui, vão, e conversem mais sobre esses tristes fatos. Alguns serão perdoados, e outros, punidos, pois jamais houve história mais dolorosa que esta de Julieta e seu querido Romeu."

Impossível escrever uma postagem sobre a trágica história de amor dos amantes de Verona sem iniciar com a frase citada acima. São palavras fortes e tristes que descrevem um amor tão puro, que pelo capricho do destino não pode ser vivido da maneira como deveria. Se Romeu e Julieta existiram, jamais saberemos. Mesmo sem ter certeza da existência do casal, a história escrita por William Shakespeare exerce uma força incomum sobre todos nós, e já foi retratada inúmeras vezes no cinema, uma dessas adaptações é "Romeo and Juliet" lançada em 1936 e dirigida por George Cukor. 

O filme é em preto-e-branco e foi roteirizado por Talbot Jennings. Recebeu indicações ao Oscar 1937 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz e Melhor Ator Coadjuvante.

De acordo com as leis brasileiras, o filme encontra-se em domínio público. Está disponibilizado no meu perfil no VK para quem desejar assistir online ou fazer download.

A famosa tragédia shakespereana (elaborada entre 1591 e 1595), não conta apenas a história de dois jovens apaixonados, mas vai além, denúncia a hipocrisia, as convenções sociais e a sede de poder que predominava nas famílias de Romeu e Julieta.
O palco da história é Verona, na Itália. O ano é 1303 (não oficial). Duas famílias tradicionais, os Montecchios e os Capuletos (as famílias existiram oficialmente), cultivam uma intensa e insustentável inimizade que predomina a vários anos.
A família dos Capuletos resolve oferecer um baile de gala para apresentar Julieta (Norma Shearer) à sociedade. Romeu (Leslie Howard), evidentemente, não foi convidado mas, acreditando estar apaixonado por Rosaline, uma das moças presentes no evento, se oculta sob um engenhoso disfarce e vai à celebração.
Durante o baile, Romeu vê Julieta e a imagem da outra garota desaparece de seu coração, e nele agora só há espaço para a jovem desconhecida. Ambos se apaixonam sem saberem que suas famílias se odeiam mortalmente.
Romeu, logo depois da festa, oculto no jardim, ouve involuntariamente o diálogo de Julieta com as estrelas, durante o qual ela confessa sua paixão. "Ah! por que és tu Romeu? Renega o pai, despoja-te do nome; ou então, se não quiseres, jura ao menos que amor me tens, porque uma Capuleto deixarei de ser logo."  Ele então a procura e se declara.
No dia seguinte, com o auxílio do Frei Lawrence (Henry Kolker), eles se casam. No entanto, após mais um encontro trágico entre os Capuletos e Montecchios, a paixão que o casal sentia um pelo outro estava com as horas contadas. E o desfecho todos nós já conhecemos...
A primeira impressão que temos é trágica, mas ao analisarmos mais profundamente essa história shakespereana podemos perceber claramente que o "amor venceu". De uma maneira nada convencional, Romeu e Julieta acabaram juntos "para sempre" (seja no além-túmulo ou no nosso imaginário) e conseguiram terminar a briga entre os Montéquios e os Capuletos. Atire a primeira pedra quem nunca desejou viver um amor tão intenso e verdadeiro como este, que mesmo com o fim derradeiro, é apaziguador, e passa a sensação de um recomeço.
Essa adaptação em preto-e-branco foi o primeiro filme que assisti sobre Romeu e Julieta, eu tinha apenas 8 anos de idade e nunca tinha ouvido falar sobre eles, por isso nunca estranhei o fato do casal de atores não serem tão jovens quanto os de outras versões. 
Resumindo, "Romeu e Julieta" é um filme lindo, apaixonante e marcante, sobre uma linda história de amor que ultrapassou séculos. De certa forma, o casal continua vivendo essa paixão toda vez que alguém revivê-os através da imaginação.

Mais detalhes na página do IMDb

Duração: 125 minutos
Categorias: Drama, Romance, Domínio Público
Classificação: Livre
Minha Nota: 10,0