17/05/2016

Filme: "Clube dos Cinco (1985)"

"Você nos enxerga como um cérebro, um atleta, um caso perdido, uma princesa e um criminoso. Correto?"

Por incrível que pareça, só consegui assistir "The Breakfast Club" completo em 2015, 30 anos depois do seu lançamento que ocorreu em 1985. Foram várias tentativas de assisti-lo através da Sessão da Tarde, mas nunca conseguia passar dos primeiros 15 minutos de filme, até que resolvi assistir inteiro, por mais entediante que fosse, porém, me surpreendi positivamente, e hoje está entre os meus filmes favoritos. Por isso que sempre cito em todas as minhas postagens, só devemos ter uma opinião formada a respeito de determinado filme após assistir inteiro.

Este clássico oitentista, escrito e dirigido por John Hughes, mesmo diretor de outro grande sucesso da década de 80, "Curtindo a Vida Adoidado", entrou para a história como um estudo aprofundado dos dilemas juvenis. Alguns dados interessantes sobre este filme: em 2008, foi escolhido pela revista Empire como um dos 500 melhores filmes de todos os tempos. Do mesmo modo, o The New York Times o colocou como o seu melhor filme na lista 1000 Movies Ever. O filme também é número 1 no ranking da revista Entertainment Weekly sobre os 50 melhores filmes High School.
"Caro Sr. Vernon, aceitamos o fato de que nós tivemos que sacrificar um sábado inteiro na detenção, pelo que fizemos de errado ... mas acho que você está louco por nos fazer escrever um texto dizendo o que nós pensamos de nós mesmos..." Esse é um trecho da carta, escrita pelo 'nerd' Brian Johnson (Anthony Michael Hall), o Clube dos Cinco tem inicio através desta narração. 

Em virtude de terem cometido pequenos delitos, cinco adolescentes são confinados no colégio em um sábado qualquer, sendo obrigados a escrever uma redação de mil palavras sobre o que eles pensam de si mesmos. Quem são esses jovens que formaram um clube tão distinto? Calma, vou apresentar cada um deles...
John Bender (Judd Nelson), o criminoso. Ele é um moço politicamente incorreto, nada amigável, insulta os colegas, gosta de fazer piadinhas de mau gosto e ameaças.
Claire Standish (Molly Ringwald), a princesa. Ela é a garota popular, mimada e aparentemente fútil, a moça se torna a principal vítima dos insultos de John Bender.
Andrew Clark (Emilio Estevez), o atleta. O rapaz é lutador, mas se diferencia dos demais colegas de luta devido a sua sensibilidade e empatia pelos outros.
Brian Johnson (Anthony Michael Hall), o cérebro. Ele é visto pelos colegas como o filho que todo pai gostaria de ter, só tira boas notas e nunca se envolve em encrencas.
Allison Reynolds (Ally Sheedy), o caso perdido. Ela faz o estilo 'garota esquisita' e seus trejeitos estranhos causam aversão nos colegas.
Após feita as apresentações, é inevitável não imaginar, o que esses cinco adolescentes oitentistas, tão distintos entre si, podem ter alguma coisa em comum. Sim, eles tem muita coisa em comum e é exatamente isso que vamos descobrindo no decorrer do filme. Trancados no mesmo ambiente, os cinco entrarão em conflito e mostrarão aos poucos tudo o que envolve esta fase complicada de suas vidas.
À princípio, os assuntos são banais, coisas típicas de adolescentes, mas à medida que o tempo vai passando tudo vai ganhando uma abordagem um tanto mais dramática, aos poucos intensa e, finalmente, devastadora. E nós, meros espectadores, adentramos no Clube dos Cinco, ouvimos atentamente cada conversa, sofremos seus dramas e, aos poucos vamos compreendendo porque cada um é como é.
Para algumas pessoas, "Clube dos Cinco" é um filme cansativo e esquecível, mas se dê uma chance de apreciá-lo com outros olhos, falo isso por experiência própria. O filme não se limita apenas em retratar cinco adolescentes de sua época, vai muito além disso, expõe a personalidade de cada um, e consequentemente, nossa personalidade também é exposta, escancaramos nossos medos e dilemas que estavam adormecidos. 

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 97 minutos
Categorias: Comédia, Drama, Clássico
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 10,0

Conteúdo Correspondente