27/04/2016

Filme: "Macbeth: Ambição e Guerra (2015)"

"O belo é podre, e o podre, belo sabe ser; ambos pairam na cerração e na imundície do ar."

"Macbeth" é a primeira adaptação cinematográfica que assisto da famosa peça teatral do dramaturgo inglês William Shakespeare escrita entre 1603 e 1607. 

Acredito que adaptar obras de Shakespeare não seja uma tarefa fácil, principalmente se o roteirista respeitar a complexidade dos diálogos, e é exatamente o que vemos neste belo filme dirigido pelo cineasta australiano Justin KurzelO lançamento aconteceu em 2015 durante o Festival de Cannes.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar a fidelidade aos diálogos, a forma como foi explorada a força das palavras shakespeareanas deixa o filme com um ar poético, belo e frio ao mesmo tempo.

A história é bem conhecida e a premissa básica é respeitada: Macbeth (Michael Fassbender), um soldado renomado do Rei Duncan (David Thewlis), ouve uma profecia pronunciada por três bruxas de que ele será o Rei da Escócia.
Sua ambição e a influência da esposa, Lady Macbeth (Marion Cotillard), o levam a assassinar o Rei Duncan, tornando-se rei daquele país.
Evidentemente, Macbeth sofre constantemente com a culpa e a paranoia diante dos atos que cometera para se tornar o grande rei, cai na perdição de sua mente e comete uma série de assassinatos para se proteger.
A loucura, o banho de sangue e a tirania são os temperos que o levarão para um único caminho, a morte.
"Macbeth: Ambição e Guerra" é uma história pesada, complexa e recheada de conflitos. O roteiro é assinado por Jacob Koskoff, Todd Louiso e Michael Lesslie, que resolveram deixar o texto em sua forma integral, ou seja, o texto da peça de Shakespeare no original. A maioria dos espectadores que estão acima dos 30 anos de idade vão gostar desta adaptação (me incluo), que tem estilo clássico, já a geração mais nova (que ainda não teve experiência com obras de Shakespeare), pode não compreendê-lo. No entanto, atualizar a linguagem do texto para um roteiro moderno é no mínimo perder a essência de Shakespeare. Prefiro as falas poéticas.
Mas o grande trunfo desta produção é o visual, os cenários, figurinos e a fotografia assinada por Adam Arkapow são um vislumbre à parte, as névoas escocesas contrasta com uma lúdica coloração vermelha. A trilha sonora marcante é outro ponto forte do filme, além é claro, das atuações magnificas do casal protagonista desta tragédia shakespeariana, Marion Cotillard e Michael Fassbender, bem como dos coadjuvantes.
Antes de assistir "Macbeth: Ambição e Guerra" tenha em mente que não é um filme fácil, principalmente pelo seu contexto ser fiel aos textos originais de Shakespeare. Vários já relataram ser um filme para poucos, mas esse fator não prejudica seu entendimento ou qualidade, apenas acrescenta charme e elegância à produção.
Mesmo sendo absolutamente complexo, eu gostei do filme e recomendo para todos que apreciam bons filmes.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 113 minutos
Gênero: Drama, Guerra
Classificação: 16 anos
Minha Nota: 8,9

Conteúdo Correspondente