07/03/2016

Filme: "Persona - Quando Duas Mulheres Pecam (1966)"

"Pensa que não entendo? O inútil sonho de ser. Não parecer, mas ser. Estar alerta em todos os momentos."

"Persona" é um filme simples e complexo ao mesmo tempo, que para entendê-lo é necessário assistir várias vezes. Uma obra enigmática que aborda a questão do ser ou não ser e uma série de elementos (mentiras, insatisfação, esquizofrenia, entre outros) que deixam o espectador inquieto durante os 85 minutos de película. Foi lançado em 1966, sendo escrito, produzido e dirigido pelo cineasta sueco Ingmar Bergman.

Assisti duas vezes, no entanto pouco entendi, e se o próprio Ingmar Bergman citou certa vez que "Persona" é uma obra de segredos, não de revelações, então quem sou eu para tentar decifrar os enigmas do seu filme?! Pelo pouco que entendi, se trata de um jogo de convivência com outra pessoa.

 O filme conta a história de Elizabet Vogler (Liv Ullmann) uma atriz que resolve parar de falar repentinamente após uma apresentação da tragédia de Sófocles quando interpreta Electra.
Os seus exames não mostram nenhuma explicação física ou neurológica para essa súbita crise. Ao ser internada em um hospital, a atriz é posta sob os cuidados de uma jovem enfermeira chamada Alma (Bibi Andersson).
A médica de Elizabet sugere que, junto com Alma, ela passe uma temporada em sua casa de praia. Isoladas do resto do mundo, as duas mulheres vão se tornando cada vez mais próximas e segredos começam a ser revelados.
Alma encontra na calada Elizabet uma amiga perfeita que ouve tudo, mas nada diz, e lhe conta os seus segredos mais íntimos, como uma orgia praticada numa praia deserta e um aborto. Mas ao ler uma carta comprometedora de Elizabet, Alma começa a perder o controle sobre si mesma, sentindo-se extremamente ligada à atriz.
Gradualmente, a persona de Elizabet toma conta da enfermeira e as identidades das mulheres parecem se fundir em uma só. Nesse momento a loucura toma conta das personagens, ocorre uma troca de identidade, os sonhos se confundem com a realidade. Mesmo diferentes, uma parece ser o complemento da outra.
"Persona" se inicia por um intrigante prelúdio em que vemos uma série de imagens de duração variável. Logo, somos apresentados a um garoto (Jörgen Lindström), que acaba de acordar, ele se depara com uma tela no meio do nada que mostra um rosto feminino em desfoque, ele toca esse rosto que parece se transformar em outro com o passar dos segundos. Essa cena inicial voltará para concluir a obra, por isso deve ser vista com bastante atenção.
Segundo o escritor inglês Peter Cowie: "Tudo o que se disser sobre Persona pode ser contradito, o oposto também será verdade." Por isso é o filme mais difícil de ser traduzido em palavras e o mais complexo de se assistir, cada cena contém milhares de significados e enigmas, e dificilmente alguém conseguirá encontrar respostas para todas as questões apresentadas nesta obra-prima fascinante.
Complementando a frase usada no início da postagem, segue um dos diálogos mais conhecidos, também mais enigmáticos desta obra: "A luta: o que você é com os outros e o que você verdadeiramente é. Um sentimento de vertigem e a constante fome de finalmente ser exposta. Ser vista por dentro, cortada, até mesmo eliminada. Cada tom de voz, uma mentira. Cada gesto, falso. Cada sorriso, uma careta. Cometer suicídio? Nem pensar. Você não faz coisas desse gênero. Mas pode recusar a se mover e ficar em silêncio. Assim, pelo menos, não está mentindo. Você pode se fechar, se fechar para o mundo. Então não tem que interpretar mais papéis, fazer caras, falsos gestos."
Para finalizar, "Persona" propõe uma reflexão presente na vida de todos nós, sobre os diferentes caminhos a serem seguidos e principalmente sobre aquilo que somos, parecemos ou queremos ser. O título significa 'máscara', e nada mais atual que a máscara das aparências, onde todos se escondem atrás de uma fantasia de si mesmo e poucos tem coragem de se desnudar completamente, mostrando ao mundo quem são de verdade. 

Enfim, "Persona" é considerada a mais primorosa obra-prima de Ingmar Bergman, um filme para ver, rever e continuar revendo sempre.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 85 minutos
Gênero: Drama, Thriller, Clássico
Classificação: 16 anos
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário