06/03/2016

Filme: "As Sufragistas (2015)"

"Nós não queremos quebrar as leis. Nós queremos fazer as leis."

"Suffragette" narra alguns acontecimentos sobre início do movimento feminista e a luta pelo direito ao voto feminino na Inglaterra. O movimento, inicialmente era pacífico, mas, a inexistência de resultados fez com que a campanha pelo sufrágio tomasse tons mais agressivos na virada do século XX. Lançado em 2015, foi escrito por Abi Morgan e dirigido por Sarah Gravon.

O filme aborda um tema bastante atual, afinal, em 2015 testemunhamos o avanço do feminismo nas redes sociais, também nas artes. "Suffragette" é estrelado, escrito, dirigido e produzido por mulheres, num exemplo claro de que o empoderamento feminino de sua trama não deve ficar só na retórica.

Inglaterra em 1912. Maud Watts (Carey Mulligan) é uma jovem trabalhadora, mãe e esposa, que trabalha como lavadeira em uma empresa administrada por um homem acostumado a abusar sexualmente de suas empregadas. E, ao chegar cansada do trabalho, ainda tem que cuidar do filho e do marido (Ben Wishaw).
Logo, ela começa a se envolver com o movimento sufragista em Londres, no início do século XX, a partir da influência de sua amiga Violet Miller (Anne Marie Duff), uma das seguidoras de Emmeline Parnkhurst (Meryl Streep). Situações machistas consideradas até então banais por ela vão ficando mais claras e lhe causando revolta.
Não demora muito para Maud ser presa, e consequentemente, expulsa de casa pelo marido. Além disso, este alega que não conseguiria criar o filho do casal sozinho e o entrega para a adoção.
Com a vida toda despedaçada, Maud dedica-se de corpo e alma à causa e passa a participar de ações junto com a química Edith Ellyn (Helena Bonham Carter) e Emily Davison (Natalie Press), em busca de visibilidade para que as questões relativas ao voto feminino fossem discutidas no Parlamento.
"As Sufragistas" é um drama excelente baseado em fatos reais. Ao longo do filme vamos acompanhando as perseguições policiais ao grupo como se elas fossem uma ameaça à população. Podemos perceber a expectativa daquelas mulheres em mudar a sua realidade a partir do voto. E nós, nos dias atuais, conhecemos todo o longo e sofrido caminho enfrentado pelas mulheres durante décadas, para conseguirem o direito ao voto.
Foto real tirada durante uma manifestadas das sufragistas
O figurino merece uma menção especial por sua perfeita reconstrução de época, junto com a fotografia, que inicialmente é cinza, tão fria quanto o inverno britânico, mas à medida que Maud se transforma em uma sufragista, os tons ficam mais quentes. 
No entanto, acontece alguns equívocos no decorrer do filme, mas nada que tire o valor do filme.  "As Sufragistas" é uma obra que serve como um registro histórico e também como inspiração para a luta pelos direitos das mulheres. Todas nós devemos muito à força daquelas mulheres que através de marchas, atos públicos e até mesmo ataques organizados foi fundamental para ganhar notoriedade para a causa, mulheres que conquistaram muitas coisas ao longo da história mas ainda tem muito mais o que conquistar.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 106 minutos
Gênero: Biografia, Histórico, Drama
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 9,4

Nenhum comentário:

Postar um comentário