15/02/2016

Filme: "Ponte dos Espiões (2015)"

"Todo acidente corretamente posicionado é uma oportunidade."

"Bridge of Spies" é um ótimo filme de espionagem inspirado no livro homônimo escrito por Giles Whittell que mostra uma história verídica ocorrida durante a Guerra Fria.

Com roteiro de Matt Charman e dos irmãos Ethan e Joel Coehn, o cineasta Steven Spielberg dirige de forma precisa e inteligente. Lançado em 2015, o filme recebeu indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Trilha Sonora, Melhor Roteiro Original, Melhor Designer de Produção, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Mixagem de Som.

A história se passa em 1957. Após de uma intrincada caçada, o FBI aprisiona Rudolf Abel (Mark Rylance), um espião russo que se disfarça de artista em Nova York. Ele estaria transmitindo segredos de estado relativos à energia nuclear.
Para defendê-lo, a promotoria pública aponta o íntegro James B. Donovan (Tom Hanks), que naquele momento era sócio de uma firma de advocacia que mexia com seguros.
A família e os amigos de Donovan são contra que ele aceite o caso incomum. No entanto, ele aceita o caso e defende Abel com garra, conseguindo livrar o espião de uma pena de morte certa, que era a vontade da opinião pública.
À principio, o advogado é hostilizado, sua família começa a ser alvo das críticas, mas o risco que ele assumiu era calculado. Donovan tem um bom argumento: é melhor manter Abel vivo e seguro, já que ele poderia ser útil em alguma ocasião, como uma futura troca de prisioneiros.
E isso exatamente o que acontece poucos anos depois. Em 1960, na União Soviética, o piloto Francis Gary Powers (Austin Stowell) é aprisionado depois que o avião U-2 dele é abatido.
Donovan acaba sendo designado à uma importante missão para o governo, embora ele faça isso não oficialmente. Ele segue para sombria Alemanha Oriental para servir como negociador, ele tem que trocar Abel por Powers. Sua missão é altamente secreta, nem a família pode saber.  
No entanto, o advogado quer fazer um algo que vai contra à vontade de todos, também entraria no jogo Frederic L. Pryor (Will Rogers), um ingênuo estudante norte-americano de economia que estava na Alemanha no local e no horário errado.
Em meio à construção do Muro de Berlim, Donovan, em condições nada favoráveis, encontra vários membros do governo da União Soviética e da Alemanha. O jogo de negociação é longo e tortuoso, os russos e alemães estão sempre desconfiados e os agente da CIA mais atrapalham do que ajudam Donovan.
Inicialmente, "Ponte dos Espiões" é uma filme de tribunal, mostrando como foi a captura e o julgamento de Abel nos Estados Unidos. No correr do tempo, a trama segue rumo a Europa e se transforma em uma clássica obra de espionagem que lembra os filmes antigos. 
O lado da Alemanha Oriental é assustador, construções em ruínas e muita violência a tornam bastante distante de se recuperar do trauma da Segunda Guerra. É difícil assistir este filme sem imaginar, pelo menos por alguns momentos, o desespero das pessoas que ficaram separadas pelo Muro de Berlim.
"Ponte dos Espiões" é um filme envolvente que aborda uma parte da história pouco conhecida (particularmente não sabia nada a respeito desses episódios relatados no filme). Além da direção ser competente, as atuações são fenomenais, Tom Hanks como sempre dando um show de interpretação e emoção (ele lembra bastante os personagens dos filmes de Frank Capra), o restante o elenco também é excelente. Figurinos, fotografia e cenários perfeitos (fiquei apaixonada por um carro amarelo que aparece bem no início do filme) e finaliza com uma trilha sonora arrebatadora. Enfim, um filme para ver e rever.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 142 minutos
Gênero: Biografia, Histórico, Drama
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 9,4