18/02/2016

Filme: "Cinco Graças (2015)"

"Tudo mudou num piscar de olhos."

"Mustang" é uma coprodução entre a França, Alemanha, Turquia e Catar que despertou a minha curiosidade desde a primeira vez que vi o trailer, e assisti-lo foi um choque cultural gigantesco. Já assisti vários filmes que mostram as dificuldades de se viver dentro de um sistema religioso extremamente conservador, todos despertaram em mim algum sentimento de indignação, mas este filme francês conseguiu me deixar aflita, arrancar várias lágrimas de revolta e risos de alívio.

Contou com a direção de Deniz Gamze Ergüven, o roteiro também foi escrito por ela em parceria com Alice Winocour. Lançado em 2015, recebeu indicação ao Oscar 2016 na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, também foi indicado ao Globo de Ouro nesta mesma categoria.

A narração da história ocorre através de Lale (Günes Sensoy), a irmã caçula. Ela comenta como ela e suas irmãs estavam tranquilas e de como tudo mudou tão rápido. Nas primeiras cenas mostram Lale se despedindo da professora, Dilek (Bahar Kerimoglu), que deixou com ela o seu novo endereço.
Esperando Lale estão as suas quatro irmãs mais velhas, Sonay (İlayda Akdoğan), Selma (Tuğba Sunguroğlu), Ece (Elit İşcan), Nur (Doğa Doğuşlu). Aos invés de irem para casa com a van escolar, as meninas resolvem aproveitar o dia bonito e ir à pé, brincando com meninos no caminho.
Ao chegar em casa, elas são duramente repreendidas pela avó  (Nihal G. Koldas), porque a comunidade estava comentando que elas não tinham tido um comportamento correto. Com isso o tio das garotas, Erol (Ayberk Pekcan), intervém na vida das cinco, impondo sobre elas costumes conservadores.
Este é apenas o começo do calvário das meninas. As cinco irmãs que tinham uma vida feliz, iam à escola e tinham uma certa liberdade acabam perdendo tudo isso por causa de alguns minutos de diversão na praia. Elas passam a ser um problema para a família. A avó delas é pressionada por todos os lados para tomar uma atitude. Depois que os pais dais meninas morreram, ela cuidou delas sozinha. Mas agora, depois dos boatos cruéis na comunidade, ela cede à pressão do filho.
Segundo os costumes, as meninas devem casar o mais rápido possível, antes que se desviem do caminho correto, logo, as mais velhas são levadas ao médico para que ele dê um certificado de virgindade. A partir daí, as garotas são tratadas como mercadorias, que devem ser negociadas o mais rápido possível. Trancadas em casa, sem direito a frequentarem as aulas, elas aprendem a cozinhar, a fazer uma colcha, a costurar e a tudo o mais que pode significar cuidar do futuro marido. 
Pouco a pouco as irmãs vão tentando viver a vida apesar além desta prisão. Como resposta ás fugas, aumenta o controle e a restrição da casa. Após serem apresentadas à comunidade, as irmãs mais velhas acabam casando. Sonay, a mais velha das cinco, que já tinha um namorado, (lindo por sinal) e acaba tendo a sorte de casar com ele. Selma, a segunda mais velha, casa no mesmo dia com um sujeito que ela conhecia só de vista. Porém, o que acontece com Selma logo após a noite de núpcias é revoltante, indigesto, desumano. 
Depois do casamento das duas mais velhas, as outras irmãs encaram o casamento arranjado com um destino certeiro. Mas os destinos das três irmãs mais novas é desolador, principalmente da irmã do meio, Ece. As cenas finais deixam o espectador com os nervos à flor da pele e o coração na mão, é uma mistura de amargor na boca e um nó no pescoço que aperta e sufoca. Dói demais saber que milhões de mulheres não tem nenhum direito de escolha.
O título brasileiro "Cinco Graças" foi perfeito, porque realmente as cinco irmãs são cinco graças, todas lindíssimas, impossível não torcer pela felicidade delas, mesmo naqueles casamentos arranjados. A beleza do filme está em todos os detalhes, nos mínimos detalhes. A história é construída sutilmente nas entrelinhas e consegue ser arrebatadora.
E ao mesmo tempo que "Cinco Graças" mostra que o ser humano se torna cego ao seguir costumes que vão contra a essência humana, também coloca em evidência que é possível confiar em alguém, que mesmo em meio às crenças extremistas existem pessoas capazes de enxergar o real significado daquela situação e estão dispostas a ajudar.
"Cinco Graças" é um filme grandioso, impactante e necessário, porque instiga ao debate. Sei o valor do respeito às diferenças culturais quando vemos produções de outros países,principalmente filmes feitos no Oriente Médio, mas é impossível se manter neutra diante das regras absurdas impostas pelas religiões. Mais impossível é não se encantar pela pequena Lale, ela se tornou a minha mais nova heroína. Tão inocente e tão inteligente, ela faz tudo que está ao seu alcance para proteger as irmãs. Uma pequena grande mulher vivendo num mundo que inferioriza as mulheres.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 100 minutos
Categorias: Drama
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 10,0

Um comentário:

  1. Um filme maravilhoso, digno de 5 estrelas, Lale e suas irmãs em uma história de superação e preconceitos bem diferentes de nossos costumes.

    ResponderExcluir