09/10/2015

Filme: "Um Sonho de Liberdade (1994)"

"A esperança é uma coisa boa, talvez a melhor de todas, e nada que é bom, deve morrer."

"The Shawshank Redemption" é o mais belo clássico da década de 90. Aqui não existe amor carnal, nem efeitos especiais, muito menos paisagens paradisíacas. O que assistimos durante 142 minutos é a anulação do livre arbítrio, ou seja, a negação da liberdade através da punição àqueles que transgridem a lei, a moral e a ética.

Dirigido por Frank Darabont, mesmo diretor dos filmes "À Espera de Um Milagre" e "O Nevoeiro", ambos também são baseados em contos de Stephen King. O cineasta também dirigiu a 1ª temporada da série "The Walking Dead".

Lançado em 1994, o filme teve fraca recepção nos cinemas, arrecadando pouco mais de 28 milhões de dólares, porém, foi aclamado pela crítica e pelo público e obteve múltiplas indicações à prêmios, incluindo sete indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Som, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora.

Ao ser condenado a prisão perpétua pelo assassinato da esposa e de seu amante, o bem sucedido banqueiro Andy Dufresne (Tim Robbins) é enviado para 'Shawshank', um presídio de segurança máxima.
Lá faz amizade com Red (Morgan Freeman), um prisioneiro veterano que controla o mercado negro e consegue tudo, desde escovas de dente até um pôster da atriz Rita Hayworth.
No entanto, a vida na prisão é uma verdadeira tortura diária e Andy enfrentaria muitas dificuldades antes de demonstrar suas habilidades e começar a trabalhar para Samuel Norton (Bob Gunton), o diretor do presídio.
Durante boa parte da trama, o espectador não tem certeza se Andy é culpado ou inocente. A narrativa não esclarece se ele de fato matou ou não a esposa e o amante, encerrando o flashback logo após ele descer do carro.
Mas, eis que surge Tommy (Gil Bellows) e conta a história verdadeira. Diante desta revelação, mantemos uma pequena esperança que Andy consiga sair daquele lugar.
Quando tudo parecia perdido, quando o coração do espectador já se encontra em frangalhos, temendo pelo pior, Andy surpreende a todos e o impacto é muito maior. Daí pra frente, a emoção é imensa, mas eu não revelarei mais nada do roteiro.
"Um Sonho de Liberdade" é um dos melhores filmes que já assisti na vida. O roteiro foi muito bem construído, sendo poético e elegante, e traz frases marcantes como esta: "Sei que alguns pássaros não podem viver numa gaiola. Suas penas brilham demais. E quando eles voam você fica contente, porque sabia que era um pecado prendê-los. Mesmo assim o lugar onde vive se torna mais vazio e chato depois da partida."
A estrutura do filme foi trabalhada nos mínimos detalhes, a bíblia com o martelo dentro; as pedras espalhadas pelo pátio; o poster da atriz; os sapatos trocados; uma noite chuvosa; o pedaço de corda; tudo faz sentido depois do inesperado acontecer.
"Um Sonho de Liberdade" engrandece personagens secundários como Brooks (James Whitmore) e Tommy. Também mostra a corrupção no presídio e como Andy usa seu conhecimento para lavar dinheiro, criando uma pessoa que nem existe Randal Stevens', mas que será fundamental para o desfecho.
"Um Sonho de Liberdade" é um filme perfeito em todos os sentidos, porém, enfatiza a esperança e a amizade sincera. Um filme digno do título de clássico, que vale a pena ver, rever e continuar revendo, porque melhora a cada nova revisão. 

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 144 minutos
Gênero: Drama, Policial, Clássico
Classificação: 16 anos
Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário