01/08/2015

Filme: "Fonte da Vida (2006)"

"A morte é uma doença como outra qualquer. E há uma cura. Uma cura. E eu vou descobrir."

"The Fountain" é um filme bastante complexo que se enquadra na categoria de filmes sensoriais (feitos para sentir e não para entender). O visual é belíssimo, o enrendo reflexivo e muito bem trabalhado, mostrando um lindo poema sobre o amor entre duas pessoas e a aceitação da morte como parte da evolução e da vida.

A direção foi do talentoso cineasta Darren Aronofsky, mesmo diretor de sucessos como "Cisne Negro", "Réquiem para um Sonho" e "Pi", entre outros. O lançamento aconteceu em 2006.

A trama inicia com uma citação bíblica, uma epígrafe relativa à árvore do conhecimento e à árvore da vida. O enredo se desenvolve em três épocas, sem uma clara definição de limites entre realidade e ficção.
O pesquisador Tommy Creo (Hugh Jackman) está em busca da cura do câncer. Para ele é pessoal, já que Izzi (Rachel Weisz), sua esposa, esta morrendo com um tumor cerebral.
A chance de sucesso chega juntamente com seu time de pesquisadores, que traz uma amostra de uma árvore singular das selvas da América do Sul. A planta pode ser a cura que ele tanto busca.
Enquanto isso, Izzi está fascinada pela civilização antiga e escreve um livro que se passa na Espanha do século XVI. O conquistador Tomas Creo (Hugh Jackman) parte para o Novo Mundo em busca da lendária árvore da vida a pedido da Rainha Isabel (Rachel Weisz).
A terceira parte da história é passada no futuro, quando o cientista Tom (Hugh Jackman) viaja pelo espaço e finalmente desvenda as questões fundamentais da existência.
Parece complicado, mas, ao final, algumas peças do quebra-cabeça se encaixam perfeitamente. Outras ficam inteligentemente vagas e cabe ao espectador decifrá-las, ou pelo menos tentar.
Assim sendo, não há uma solução definitiva para a trama, já que seu entendimento em muito se deve às crenças e experiências pessoais.
"Fonte da Vida" integra aspectos relacionados à ciência e ao esoterismo, incluindo diversas referências à concepção de cosmogonia da cultura maia. O tema é conceitualmente denso e ao mesmo tempo rico emocionalmente, provocando reflexões sobre a vida, a morte e a existência.
Deixando a filosofia à parte, os saltos cronológicos do filme são apenas variações psicológicas do tema. Somente o presente realmente está acontecendo. As outras histórias são para preencher lacunas da trama.
"Fonte da Vida" é um filme especial, um verdadeiro achado, Conseguimos sentir a essência da história. As atuações são brilhantes e comoventes. O casal protagonista está perfeito nos personagens, seja do passado, presente e futuro. 
As fotografia é um verdadeiro espetáculo, os efeitos especiais foram usados na medida exata e a montagem ficou perfeita. Sem dúvida está entre os filmes mais bonitos que já assisti.
"Fonte da Vida" é um filme para quem tem sensibilidade aguçada. Se você deseja algo mais que um simples entretenimento, recomendo esta obra, certamente será uma viagem fascinante e inesquecível.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 96 minutos
Categorias: Drama, Ficção Científica
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 9,5

Nenhum comentário:

Postar um comentário