Faça Suas Pesquisas Por Filmes, Diretores e Artistas

12/08/2015

Documentário: "Nanook, o Esquimó (1922)"

"Preservar um registo daquilo que resta de uma cultura antes de ela desaparecer." (Robert H. Lowie)

Tudo começou em 1920, quando o cineasta Robert H. Lowie decidiu realizar o filme, e eis que um esquimó do Ártico do Canadá torna-se o protagonista do primeiro documentário cinematográfico da história. "Nanook of the North" estava concluído em 1922 e pronto para ser exibido nos cinemas, contudo, foi rejeitado pelos grandes estúdios e somente a Pathé estreou em Nova York, com êxito praticamente imediato.

Em 1989, este clássico do cinema foi um dos 25 filmes selecionados para preservação pela National Film Registry da Biblioteca do Congresso, Estados Unidos, por ser "culturalmente, historicamente e esteticamente um marco".
O filme não possui diálogos, e a história acompanha um ano inteiro da vida de uma autêntica família de esquimós. Nesta obra estão registradas a caça, a pesca, o comércio, as migrações, a construção de iglus. 
Através das imagens, vamos conhecendo todas as dificuldades enfrentadas pelos esquimós que vivem e sobrevivem no ártico, sob rigorosas temperaturas negativas, e todas as suas técnicas para conseguir comida num ambiente tão inóspito.
Muitos críticos consideram como o primeiro documentário antropológico em longa-metragem da história do cinema. No entanto, existe um grupo que discorda dessa classificação, uma vez que muitas de suas cenas foram encenadas para as câmeras. 
O filme teve o apoio de uma companhia de pele francesa chamada Revillon Freres que doou 50 mil dólares para Flaherty realizar a expedição de 16 meses até o Polo Norte. Após a estreia, o filme arrecadou 40 mil dólares na primeira semana. Foi um sucesso de bilheterias.
Nanook, o experiente esquimó retratado no filme, morreu pouco meses depois das filmagens, de fome, o que só vem reforçar as dificuldades que eles enfrentam todos os dias para se manterem vivos.
"Nanook, o Esquimó" mostra uma realidade muito diferente da nossa. No imenso deserto de gelo, vagam seres humanos com fome que perfura suas almas, mas mesmo assim carregam sorrisos estampados em seus rostos.
É a primeira vez que assisto algo sobre o tema, mesmo sabendo da existência dos esquimós, nunca tive a oportunidade de ver como é a realidade dessas pessoas que sobrevivem em temperaturas extremamente negativas. Sou leiga em antropologia, mas acredito que a representação da vida de um esquimó neste filme chega o mais próximo possível da sua vida real.
"Nanook, o Esquimó" é um filme incrível que mostra seres humanos fascinantes, mas é importante ter bastante paciência para apreciar o documentário, a narrativa sai fora daquilo que estamos acostumados a ver. O filme faz parte das obras que encontram-se em Domínio Público, sendo possível encontrar todos os filmes disponíveis no meu perfil no VK.

Mais detalhes do documentário na página do IMDb

Duração: 79 minutos
Gênero: Documentário, Clássico, Domínio Público
Classificação: Livre
Minha Nota: 9,3

Nenhum comentário:

Postar um comentário