19/07/2015

Filme: "A Canção de Bernadette (1943)"

"Para os que creem, nenhuma explicação é necessária, mas para os que não creem, nenhuma explicação servirá."

"The Song of Bernadette" é considerado o filme religioso mais belo de todos os tempos e, após assisti-lo, concordo com essa afirmativa. Muito mais que um filme católico, é um filme sobre Fé e esperança, e acima de tudo, sobre amor ao próximo, conseguindo encantar e emocionar pessoas de todas as religiões e crenças. Essa grandiosa obra indicada a nada menos que doze estatuetas do Oscar foi dirigido por Henry King, mesmo diretor do cultuado "Suplício de Uma Saudade".

Baseado no histórico livro do escritor judeu Franz Werfel, o filme foi indicado ao Oscar de Melhor Filme, Melhor Gravação de Som, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Edição.

Ganhou a estatueta nas categorias de Melhor Atriz, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora. O lançamento aconteceu em 1943.
Fazemos uma viagem no tempo e vamos parar no dia 11 de fevereiro de 1858, numa pequena aldeia francesa de Lourdes. Conhecemos François Soubirous (Roman Bohnen) e sua esposa Louise (Anne Revere), ambos lutam diariamente para conseguir sustentar suas filhas Bernadette (Jennifer Jones) e Marie (Ermadean Walters), e os filhos Justin (Nino Pipitone Jr.) e Jean (Merrill Rodin). A família é muito pobre e para complicar ainda mais a situação, Bernadette que tem apenas 14 anos sofre com crises de asma.
Certo dia, Louise pede às meninas para apanharem lenha, e enquanto Jeanne (Mary Anderson) e Marie caminham na frente pelo Rio Gave, Bernadette fica na gruta de Massabielle. Nesse local, a garota é atraída para o canto da gruta, onde uma bela Senhora aparece. Bernadette ajoelha-se diante da Senhora e reza um rosário com ela, mas é despertada com a chegada de Jeanne e Marie.
No dia seguinte, Bernadette novamente vê a Senhora, que lhe pede para visitá-la quinze dias consecutivamente, e lhe diz que não lhe pode prometer toda a felicidade neste mundo, mas somente no próximo. Muito preocupada, sua mãe faz Bernadette prometer que nunca mais retornará à Massabielle.
A história da visão de Bernadette se espalha por toda a aldeia até que Bernarde Casterot (Blanche Yurka), tia e madrinha de Bernadette, insiste para acompanhar a garota até a gruta. Na manhã seguinte, várias pessoas acompanham a família até Massabielle, e embora ninguém possa ver a Senhora, a exaltação de Bernadette convence  a todos de suas visões.
Rapidamente, a história das visões se espalha por outras comunidades, fazendo com que o o prefeito Alphonse Lacade (Aubrey Mather), o promotor Vital Dutour (Vincent Price), o comissário de polícia Jacomet (Charles Dingle) e outros oficiais não gostam das ações inexplicáveis de Bernadette. E após examinar Bernadette, Dr. Dozous (Lee J. Cobb) informa aos homens que não pode dar um diagnostico de que ela esteja mentalmente doente, e Padre Peyramale (Charles Bickford) também se recusa a interferir, embora ele não acredite na visão de Bernadette.
Jacomet avisa a François que a família inteira será afetada se as visitas de Bernadette à gruta não pararem, mas a menina chora dizendo que vai morrer se não vir a Senhora, François lhe dá permissão para voltar a Massabielle. 
Peyramale pede que a Senhora faça com que uma rosa na gruta desabroche, mas ao invés disso, a Senhora manda Bernadette comer das plantas e beber a água da fonte, isso deixa a multidão revoltada, todos a ironizam, no entanto, algo inesperado acontece.
Toda a França discute o incidente, e Peyramale começa a pensar que Bernadette seja realmente um instrumento de graça. Centenas de peregrinos chegam a Lourdes. Durante a última visita prevista de Bernadette, ela pergunta o nome da Senhora.
Os anos se passam e Bernadette se torna uma mulher até que finalmente a Comissão admite de que ela fora 'escolhida pelos poderes superiores'. Peyramale tenta deixar Bernadette impressionada pelas consequências de suas descobertas, e embora ela tenha medo das implicações, aceita a necessidade de abandonar a vida comum e se tornar uma freira.
No convento Bernadette é diagnosticada com tuberculose no osso e o médico descreve como insuportavelmente doloroso. À medida em que Bernadette se enfraquece, a Comissão a questiona novamente, e ela reafirma sua crença na Senhora.
"A Canção de Bernadette" é um filme excelente em todos os quesitos, que merece ser visto por todos, não importa a crença. Aliás, o filme foi baseado num livro de um judeu e não de um católico. Esta obra fantástica do cinema encontra-se em domínio público.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 156 minutos
Gênero: Biografia, Drama, Clássico, Domínio Público
Classificação: Livre
Minha Nota: 10,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário