06/05/2015

Filme: "A Cor do Paraíso (1999)"

"O professor diz que Alá (Deus) ama mais os cegos porque não podem ver, mas eu disse que se fosse assim ele não teria nos feito cegos, porque assim não podemos vê-lo."

"Rang-e Khoda" está entre os filmes mais belos e sensíveis que assisti, uma obra marcante e com paisagens paradisíacas que despertaram em mim o imenso desejo de conhecer o Irã. O cenário natural, com cadeias montanhosas transmitem paz e serenidade, a história é simples e comovente mas com uma singularidade única. A sensação após assisti-lo foi de estar mais serena, pronta para atravessar qualquer obstáculo. O lançamento aconteceu em 1999.

Contou com a direção do iraniano Majid Majidi, mesmo diretor de outras obras inesquecíveis e tocantes: "O Pai"; "Filhos do Paraíso"; "Baran"; "Entre Luzes e Sombras" e "A Canção dos Pardais". É impossível ser a mesma pessoa após assistir qualquer um destes filmes, todos tem o poder de nos transformar em pessoas melhores. 

Na trama conhecemos a história de Mohammad (Mohsen Ramezani) um menino cego, de verdade. Sua impossibilidade de ver o mundo reforça mais ainda sua habilidade em sentir suas poderosas forças e, através dele desvendamos um pouco do Irã, seus bosques, florestas, flores, mar e pássaros, numa fotografia deslumbrante.
Mohammad estuda e mora numa escola para deficientes visuais. Nas férias, ele volta para seu vilarejo no interior do país, onde convive com as irmãs e sua avó, uma senhora adorável.
Ele é um garoto de extrema sensibilidade, sobretudo para se relacionar com pássaros que sugerem liberdade. Seu jeito simples de 'ver o mundo' é uma lição de vida para todos nós.
O pai (Hossein Mahjoub), que é viúvo, deseja recomeçar a vida, quer se casar novamente, e para isso necessita se apresentar a família de sua pretendida com todos os costumes e rituais da religião. Mohammad se torna um empecilho na vida deste homem sofrido, mas não o julgamos, ele tem os seus motivos e a todo instante vemos o desespero e a tristeza no seus olhos.
Certo dia, Mohammad vai escondido à escola do vilarejo com suas irmãs, lá ele demonstra muito mais conhecimento e desenvolvimento de leitura que os outros alunos. Seu pai descobre e antes que todos saibam do filho cego, o leva para ser aprendiz de carpinteiro com a desculpa de que ele precisa aprender uma profissão.
Percebemos claramente que ele estava se livrando do menino, mas a vida a todo momento surpreende e as reviravoltas no filme acontecem para que repensemos a situação e aprendamos alguma lição com tais circunstâncias. 
Após o garoto ir embora, sua avó fica muito triste e adoece, ela decide ir também, mas devido a fraqueza, ela cai e acaba falecendo, essa morte faz com que a família da noiva desista do casamento, pois foi considerado mau agouro. Muito triste, esse pai resolve buscar o garoto, mas, o destino novamente iria nos surpreender. O que o espectador verá nas próximas cenas é de uma sutileza maior que tudo (mas claro que não vou revelar). 
"A Cor do Paraíso" é de uma beleza inigualável (como podemos ver nas imagens), os diálogos são inesquecíveis, um dos mais lindos é com o carpinteiro que também é cego, onde o garoto questiona Deus e sua própria condição de cego, afirmando que ninguém gosta dele por ser deficiente visual. Meu coração ficou despedaçado, foi impossível não derramar várias lágrimas.
Sem dúvida, a cegueira de Mohammad é a cegueira de nós ocidentais que pensamos que a liberdade está em possuir bem materiais, contudo, a verdadeira liberdade está na vida simples. A muito tempo percebo que, quanto mais conforto desejamos, mais ficamos presos a metas e nos distanciamos da tão sonhada liberdade, e consequentemente, nos afastamos da verdadeira felicidade.
"A Cor do Paraíso" é um filme sobre as complexidades humanas, as pequenas sutilezas, o lado simples da vida. Conhecemos um Irã encantador, de paisagens que fazem bem aos olhos e alma, um país totalmente diferente daquele que a mídia mostra com guerras, fanatismo religioso e destruição. 
Recomendo este filme para todos que desejam acrescentar dentro de si valores simples, mas que fazem toda a diferença.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 90 minutos
Categorias: Drama, Aventura, Família
Classificação: Livre
Minha Nota: 10,0