04/01/2015

Filme: "A Tara Maldita (1956)"

"Eu escorreguei de propósito"

"The Bad Seed" é o precursor de todos os outros filmes sobre psicopatia infantil. Mas, primeiro vou comentar sobre o título que nos dias atuais soa à termos sexuais, mas o real significado da palavra 'tara' é - defeito congênito ou adquirido - portanto, está correto, pois são as características da personagem Rhoda.

Apesar de ser um filme da década de 50, ainda é impactante, e ao assisti-lo, fiquei imaginando a reação das pessoas na época do seu lançamento. O filme é chocante ao mostrar a frieza e maldade de uma garotinha de apenas 8 anos de idade, com rostinho de anjo e perversidade de demônio. Contou com a direção de Mervyn LeRoy e seu lançamento aconteceu em 1956. Foi indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Fotografia em P&B.

Na trama, conhecemos Rhoda (Patty McCormmack), uma linda menina de longas tranças loiras, muito educada, prendada, doce e atenciosa, o tipo de filha que todos os pais gostariam de ter em casa.
Mas não se engane, pois detrás de toda essa candura, existe um ser demoníaco, capaz de cometer as piores crueldades, apenas para satisfazer seu ego.
Rhoda demonstra todos os comportamentos de um psicopata, é dissimulada, fria, não sente remorso e faz uso das mentiras para conseguir tudo deseja. A garota não aceita perder o controle da situação em nenhum momento, comete suas atrocidades sorrateiramente e volta para sua casa como se nada tivesse acontecido.
Porém, o jeito doce de Rhoda não conquista todas as pessoas que a cercam, mas somente sua mãe Christine (Nancy Kelly) é quem acaba juntando todos os fatos e descobrindo que a sua doce filha, é na verdade, uma assassina calculista da pior espécie.
Acompanhamos o sofrimento desta mãe que carrega um fardo cruel. Christine passa os dias atormentada por seus pensamentos, tentando resolver essa situação, pois sua própria filha, aquela criança que ela gerou e viu crescer acaba se transformando num monstro.
Uma das coisas que mais chama a atenção neste filme, é a passividade de Rhoda, ela comete os crimes, mas age como se absolutamente nada tivesse acontecido. Outro ponto forte da trama é aguçar a mente do expectador, pois nenhuma cena de crueldade é explícita, mas após os diálogos entre Rhoda e outras pessoas, vamos juntando e relacionando os fatos, isso torna o filme ainda mais instigante.
"A Tara Maldita" explora muito bem um tema extremamente delicado que é a psicopatia infantil. Um desvio de caráter gravíssimo, que pode surgir em qualquer família. Rhoda recebia amor incondicional da mãe Christine e do pai LeRoy (Henry Jones), um casal feliz, pessoas honestas e trabalhadoras, mas a menina não herdou nenhuma dessas qualidades dos pais, ela possuia instinto assassino e assim vai eliminando pessoas da sua vida, como se fossem brinquedos velhos que são descartados no lixo.
"A Tara Maldita" é sem dúvida um filme ousado, que mostra um história incomum para a época, mas que continua atual. A direção é excelente e o filme inteiro é construído por diálogos brilhantes, com atuações hipnotizantes, principalmente da garotinha, é impossível não odiar Rhoda, assim como é impossível não ficar hipnotizado por ela. 

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 129 minutos
Gênero: Thriller, Terror, Mistério, Drama, Clássico
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 10,0 

Nenhum comentário:

Postar um comentário