12/12/2014

Filme: "Noé (2014)"

"Havia naqueles dias gigantes na Terra."

"Noah" está entre os filmes que mais causaram polêmicas em 2014, sua exibição foi proibida em vários países e desaprovado pela comunidade religiosa. 

A polêmica sobre o filme surgiu devido a história não seguir a versão bíblica sobre o dilúvio. O próprio diretor Darren Aronofsky afirmou em uma entrevista que sua obra não poderia ser vista pela ótica religiosa, mas como uma produção artística baseada em uma história retirada da Bíblia. O filme é uma superprodução de alta qualidade, os efeitos especiais, gráficos e sonoros estão impecáveis. Juntar religião e ciência para explicar fatos bíblicos foi um grande acerto do diretor.

Como já citei acima, a trama é baseada em Gênesis (5:25 a 10:1 - pouco mais de cem versículos), porém, o Noé que conhecemos no filme é baseado no ocultismo, gnosticismo e cabalístico, e provavelmente foi isso que gerou tanta estranheza do público em relação ao nosso herói.
O filme começa apresentando brevemente a Criação, passando pela morte de Abel através do seu irmão Caim e, enfim, adentrar na vida de Noé (Russell Crowe). Ele é descendente de Set, e vive harmoniosamente com sua família até que os descendentes de Caim aparecem para explorar suas terras. 
Decepcionado com os rumos que a humanidade havia tomado, Noé passa a receber mensagens do Criador (no filme não é mencionado Deus, mas sim, Criador, que na minha concepção são o mesmo Ser Divino). O Criador avisa Noé, através de visões, que ele precisa encontrar-se com Matusalém (Anthonny Hopkins).
Durante o caminho para chegar até Matusalém, Noé salva a vida de Ila (Emma Watson) que encontrava-se gravemente ferida.
Ao encontrar Matusalém, Noé descobre que tem uma árdua tarefa para cumprir, ele recebe uma missão do Criador, construir a arca que salvará sua família e um casal de animais de cada espécie.
Apoiado pela esposa Naameh (Jennifer Connelly), pelos filhos Sem (Douglas Booth), Cam (Logan Lerman) e Jafé (Leo McHugh Carroll) e pelos guardiões gigantes (presente em Gênesis 6:4), Noé dedicará os próximos anos de sua vida na construção da grande arca.
E após uma década, a arca fica pronta. No entanto, eis que surge Tubalcaim (Ray Winstone) extremamente raivoso por ter sido ignorado por Noé, este não aceita ser deixado para morrer sobre as águas enviadas pelo Criador.
Tubalcaim usará sua força e seu poder de persuasão para embarcar na arca, juntamente com a família de Noé. 
Confesso que demorei bastante tempo para assistir este filme por causa dos comentários negativos. Porém, depois de tê-lo assistido, só posso dizer que gostei da trama. A trama não é chata e está recheada de conflitos internos. Senti raiva do Noé em alguns momentos, mas entendi as razões dele. 
A maneira de usar os Guardiões para explicar como a arca foi construída foi bem inteligente, além de expressarem tristemente a falta que sentem do do Criador. 
E o Noé deste filme conseguiu me fascinar por ser sábio, e mesmo agindo friamente (só estava cumprindo ordens), ele demonstra sensibilidade e começa a se culpar pela destruição de toda a vida sobre o planeta, se tornando um alcoólatra.
"Noé" é um filme intrigante, pois nos apresenta um protagonista complexo, forte, cruel e ao mesmo tempo muito sensível. De fato, o diretor ousou na fantasia, mas nem por isso o filme é ruim, na verdade, é um filme bem interessante que vale a pena ser conferido.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 128 minutos
Gênero: Aventura, Épico, Drama, Ação
Classificação: 14 anos
Minha Nota: 8,0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conteúdo Correspondente