18/12/2014

Filme: "A Felicidade não se Compra (1946)"

"Lembre-se: você nunca será um fracasso enquanto tiver amigos."

"It's a Wonderful Life" é um filme soberano e perfeito. Sem dúvida é, e sempre será o maior clássico natalino de todos os tempos. E uma promessa que fiz a mim mesma é, que enquanto eu viver, irei assisti-lo na época natalina, pois é um filme capaz de moldar nossas vidas e nos transformar em pessoas melhores, mais humanas e muito mais felizes.

A direção foi de Frank Capra e seu lançamento aconteceu e 1946. Recebeu indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Diretor, Melhor Edição e Melhor Som.

A história gira em torno de George Bailey (James Stewart), rapaz querido e admirado por todos os moradores da pequena Bedford Falls, cidade onde ele vive com sua família.

Ele é um homem iluminado, que abdicou o sonho de cursar uma universidade e viajar pelo mundo para permanecer cuidando do legado da firma em que seu pai trabalhava antes de falecer, e dessa forma, ajudar todos os moradores da cidade.
Se casou com a bela Mary (Donna Reed). Os anos passam, nascem os filhos e George continua um ser humano exemplar que não mede esforços para ajudar o próximo.
E eis que um duro golpe da vida, ou melhor, do desonesto Sr. Potter (Lionel Barrymore) faz George perder sua coragem e desacreditar na vida. Ele que sempre pensou nos outros, mas nunca em si mesmo, agora encontra-se em total desespero e solidão.
É véspera de Natal e Mary está preparando a casa para receber os amigos, mas George chega em casa transtornado, altera a voz com ela e com os filhos, pega seu carro e sai dirigindo feito um louco até bater o automóvel em uma árvores. Desesperado, George vai até o alto de uma ponte e deseja nunca ter nascido. Ele pensa em cometer suicídio. É nesse momento que surge Clarence (Henry Travers).
A Felicidade não se Compra
Clarence é um espírito desencarnado que recebeu a missão de salvar a vida de George e devolver ao rapaz, a vontade de viver. Através desta missão, o anjo ganhará suas asas.
E Clarence mostra diversas situações que teriam acontecido se George não existisse e diz: "Foi-te dada uma grande oportunidade, George, ver como seria o mundo sem você." O desfecho deste filme é algo sublime, impossível não abrir um sorriso de orelha à orelha, em meio a inúmeras lágrimas.
"A Felicidade não se Compra" toca no coração, pois fala da pureza da alma não corrompida pelo egoísmo e ganância. Mostra que não é necessário ter posses para ser feliz, pois o filme nos faz imaginar como seria o mundo sem a nossa presença e refletimos sobre os gestos que tivemos em relação ao próximo, por mais pequenos que possam parecer para nós, são grandiosos para quem recebe.
Imagine como seria o mundo sem você? Como seria as vidas das pessoas ao teu redor sem a tua existência? E "A Felicidade não se Compra" provoca profundas reflexões sobre a nossa influência na vida e no comportamento das pessoas que nos cercam. O maior valor que temos é a nossa existência, é o laço invisível que nos une a todos que amamos.
Somos todos muito importantes para várias pessoas e a única coisa mais importante nessa vida são os momentos que passamos com essas pessoas (família, amigos). Devemos viver intensamente esses momentos, amando e buscando a felicidade nos pequenos detalhes e nas coisas simples da vida, e agradecendo sempre cada conquista.
"A Felicidade não se Compra" é um belíssimo filme que entrou para minha lista dos melhores filmes que assisti e recomendo para todos.

Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 130 minutos
Categorias: Drama, Família, Espiritualista, Clássico, Domínio Público
Classificação: Livre
Minha Nota: 10,0

Conteúdo Correspondente